Viajando No Mundo dos Contos de Fada

Viajando No Mundo dos Contos de Fada

terça-feira, 12 de dezembro de 2017

DINÂMICA  DE INTEGRAÇÃO:

 O GATO E O RATO Público: crianças ou jovens. Material: nenhum. As crianças formam uma roda. Uma delas, o Rato, fica dentro da roda. Outra, o Gato fica fora da roda. O Gato pergunta: “Seu Ratinho está?” As crianças da roda respondem : “Não” O Gato pergunta: “A que horas ele chega?” As crianças respondem um horário a escolha. As crianças começam a rodar e o Gato vai perguntando: “Que horas são?” e as crianças respondem: “Uma hora” – “Que horas são?” – “Duas Horas” e assim até chegar ao horário combinado. As crianças na roda devem parar com os braços estendidos; o Gato passa a perseguir o Rato. A brincadeira acaba quando o Gato pega o Rato. Para os bem pequenos é preferível que os que estão na roda fiquem parados até que o gato pegue o rato. Para crianças maiores as que estão na roda podem ajudar o rato a fugir ou atrapalhar o gato, sem desfazer o círculo. Pode-se repetir a brincadeira algumas vezes, dando chance a quem quiser ser rato e gato. Procure parar a atividade antes que as crianças percam o interesse.como montar uma loja virtual

DINÂMICA: QUEBRA-GELO(DESCONTRAÇÃO) Caça ao tesouro Objetivo: ajudar as pessoas a memorizarem os nomes umas das outras, desinibir, facilitar a identificação entre pessoas parecidas. Para quantas pessoas: cerca de 20 pessoas. Se for um grupo maior, é interessante aumentar o número de questões propostas. Material necessário: uma folha com o questionário e um lápis ou caneta para cada um. Descrição da dinâmica: o coordenador explica aos participantes que agora se inicia um momento em que todos terão a grande chance de se conhecerem. A partir da lista de descrições, cada um deve encontrar uma pessoa que se encaixe em cada item e pedir a ela que assine o nome na lacuna. 1. Alguém com a mesma cor de olhos que os seus; 2. Alguém que viva numa casa sem fumantes; 3. Alguém que já tenha morado em outra cidade; 4. Alguém cujo primeiro nome tenha mais de seis letras; 5. Alguém que use óculos; 6. Alguém que esteja com uma camiseta da mesma cor que a sua; 7. Alguém que goste de verde-abacate; 8. Alguém que tenha a mesma idade que você; 9. Alguém que esteja de meias azuis; 10. Alguém que tenha um animal de estimação (qual?). Pode-se aumentar a quantidade de questões ou reformular estas, dependendo do tipo e do tamanho do grupo.como montar uma loja virtual


DINÂMICA: ÁRVORE DAS QUALIDADES (autoestima) Objetivo: Identificar qualidades e valores/ Favorecer a descontração dos alunos/Conhecer e reconhecer qualidades nos colegas. Material: Tronco de árvore confeccionado em cartolina, fita adesiva, flores previamente confeccionadas com miolo e cinco pétalas. Procedimentos: Colar o tronco na parede ou no quadro; explicar que agora iremos pensar em qualidades que temos(explicar o que é qualidade); explicar que essas qualidades nos deixam felizes e fazem com que os outros também fiquem felizes com isso, amigos, professores, família; pedir que escrevam uma qualidade em cada pétala e no centro(miolo) o nome; após todos terminarem a parte escrita, iniciar a montagem da árvore, chamando um a um no painel, para colarem a flor, falando o nome e as qualidades que tem; ao final, fechar ressaltando que todos nós temos qualidades e elas devem ser preservadas para o nosso bem e nossa felicidade. 16.


DINÂMICA: A ÁRVORE DO CONHECIMENTO Objetivo: Conhecer os participantes do grupo e suas opiniões relacionadas aos assuntos apresentados na árvore. Material: Árvore com perguntas dentro da bexiga Procedimentos: Cada participante se levanta e vai até a árvore, apresenta-se para o grupo, estoura uma bexiga e lê a pergunta para os demais participantes e responde de acordo com sua opinião.como montar uma loja virtual

DINÂMICA DO REPOLHO
Objetivos: Esta é uma forma bem criativa de saber o nível de conhecimento das pessoas, em relação a determinado assunto ou tema. Material: elaborar previamente em folha de papel sulfite questionamentos para que os participante  respondam. Enrolar cada folha, uma após outra, de modo que fiquem  assemelhada a um “repolho”. Procedimentos: Formar um círculo, e começar a passar o “repolho”. Colocar uma música bem ritmada e ficar de costas para o grupo. Parando a música, quem estiver com o “repolho” na mão deverá retirar a primeira folha, ler e responder. Senão souber o grupo pode ajudar e assim sucessivamente até que todas as pergunta sejam respondidas, quem ficar com a última pergunta é o ganhador. Obs.: Educador adapte esta dinâmica de acordo com o nível de conhecimento de seus alunos, não esquecendo que temos níveis diversificados em nossas salas de aula, portanto use perguntas relacionadas as áreas de conhecimento, em português por exemplo trabalhe com as sílaba, frases etc... Utilize também cálculos matemáticos etc...

 DINÂMICA DAS PALAVRAS Objetivo: reconhecer as palavras, usando a linguagem corporal. Material: Caixa de presente com palavras em fichinhas, lousa e giz. Procedimentos: Dividir os participantes em equipes, faça um sorteio para ver a equipe que começa, um participante retira a palavra da caixa sem que os demais vejam, faz a mímica da palavra para os colegas descobrirem, quem acertar leva ponto, em seguida peça para o aluno que acertou escrever a palavra na lousa e formar uma frase, em caso de alunos em fase de alfabetização o professor e os amigos poderão ajudar. Ganha o grupo que fizer mais ponto, o grupo que perder deverá cumprir uma prenda para o grupo vencedor. Obs: Educador tenha cuidado na escolha da prenda, deverá ser algo que todos se divirtam e não algo para prejudicar alguém.

 DINÂMICA: ABRIGO SUBTERRÂNEO Objetivo: Questionar sobre conceitos e valores morais, trabalhar a questão do preconceito no grupo e exercitar uma atividade de consenso. Material: caneta ou lápis e uma cópia do ‘abrigo subterrâneo’ pra cada participante. Processo: dividir o grupo em cinco pessoas ou dependendo do numero de participantes. Distribuir uma cópia do ‘abrigo subterrâneo” para cada participante. Orientar que cada pessoa deverá proceder a sua decisão individual,escolhendo até seis pessoas (da lista do abrigo) de usa preferência. Em seguida,cada subgrupo deverá tentar estabelecer o seu consenso,escolhendo também as suas seis pessoas. Ao final o facilitador sugere retornar ao grupão, para que cada subgrupo possa relatar os seus resultados. Proceder os seguintes questionamentos : Quais as pessoas escolhidas de cada subgrupo? Qual o critério da escolha / eliminação? Qual (is) o (s) sentimentos que vocês vivenciaram durante o exercício? Solução: Uma escolha livre de preconceitos seria promover um sorteio.

ABRIGO SUBTERRÂNEO.
Você está correndo um serio perigo de vida.Sua cidade está sendo ameaçada de um bombardeio.Você recebe a ordem de que deverá acomodar em um abrigo subterrâneo apenas seis pessoas,entretanto há doze precisando entrar no abrigo.Abaixo,estão quais as pessoas e suas características.Faça a sua escolha.Apenas seis poderão entrar no abrigo: ( ) um violinista,40 anos,viciado ( ) um advogado,25 anos ( ) a mulher do advogado,24 anos, que acaba de sair do manicômio. Ambos preferem ou ficar juntos no abrigo ou fora dele ( ) um sacerdote,75 anos ( ) Uma prostituta,com 37 anos ( ) um ateu,20 anos,autor de vários assassinatos ( ) uma universitária,19 anos,que fez voto de castidade ( ) um físico 28anos,que só aceita entrar no abrigo se puder levar consigo e sua arma ( ) um declamador fanático,21 anos,baixo QI ( ) um homossexual,47 anos geólogo ( ) um débil mental,32 anos,que sofre de ataques epiléticos ( ) uma menina,12 anos,baixo QI  como montar uma loja virtual

TEMAS TRANSVERSAIS – TRABALHO E CONSUMO

TEMAS TRANSVERSAIS – TRABALHO E CONSUMO

Trabalhar e consumir são direitos de todos. Mas a realidade se mostra bem diferente. Nem todos têm acesso a oportunidades de emprego ou podem usufruir os produtos e serviços oferecidos. No Brasil, em particular, essa situação é bem evidente. A oitava maior economia do mundo ostenta uma das piores distribuições de renda, criando um abismo entre os mais ricos e os mais pobres. Trata-se de um problema cuja solução depende tanto de políticas econômicas do governo quanto do comportamento dos cidadãos, que devem estar alertas para questões como desemprego e diminuição do poder de consumo. Cabe à escola o papel de discutir esses temas com os alunos, futuros integrantes do mercado de trabalho e de consumo. Lutar por direitos ligados à liberdade, à participação nas decisões políticas e à igualdade de condições dignas é um modo de consumir a cidadania. 

Os PCN’s propõem tópicos que se seguem para abordar as questões de Trabalho e do Consumo:

Relações de Trabalho - o conhecimento das relações de trabalho em várias épocas é importante para compreender sua dimensão histórica e comparar diferentes modalidades de trabalho, como o comunitário, a servidão, a escravidão, o trabalho livre, o assalariado, o trabalho no espaço urbano e rural. 

Trabalho, Consumo, Meio Ambiente e Saúde - esse bloco discute a exploração dos recursos naturais, a qualidade de vida e as condições de trabalho e de saúde dos grupos populacionais e a interação humana com o meio ambiente. 

Consumo, Meios de Comunicação de Massas, Publicidade e Vendas - o objetivo desse tópico é analisar a influência da publicidade na vida das pessoas. Ela é mais do que uma forma de divulgar um produto ou um serviço. A propaganda difunde estilos de vida, padrões de beleza e comportamento que traduzem valores e expectativas. Ter isso em mente auxilia na compreensão do desejo de consumo e da real necessidade de adquirir produtos ou serviços. 

Direitos Humanos, Cidadania, Trabalho e Consumo - aqui se procura enfatizar que os cidadãos têm direitos em relação ao trabalho e ao consumo e estimular a autoconfiança para exigi-los e promovê-los. 

OBJETIVOS GERAIS:

Principais objetivos a serem alcançados pelo aluno no tema Trabalho e Consumo: 

▪ saber de seus direitos e responsabilidades, identificando problemas e debatendo coletivamente possíveis soluções;
▪ notar a diversidade de relações de trabalho existentes e seu vínculo com a realidade local, regional, nacional e mundial; 
▪ verificar como os lugares e as paisagens são criados e transformados por intervenção do trabalho e do consumo humano; 
▪ identificar diferentes processos tecnológicos empregados nas atividades e analisar seu impacto no trabalho, no consumo e na relação com a qualidade de vida e com o meio ambiente; 
▪ reconhecer a existência de discriminações e injustiças em situações de trabalho e consumo; 
▪ perceber que os direitos civis, políticos e sociais são conquistados com conflitos e acordos, valorizando a atuação de partidos políticos, sindicatos e outras instituições democráticas; 
▪ reconhecer como é o processo se inserção no mercado de trabalho, identificando problemas e possíveis soluções. 

FONTE: 
NOVA ESCOLA, edição especial, Parâmetros Curriculares Nacionais – fáceis de entender, ed. Abril , p. 65 e 66

EDUCAÇÃO NO TRÂNSITO

EDUCAÇÃO NO TRÂNSITO


Fique esperto, fique vivo
Antes de pegar no volante, coloque a mão na consciência.
• Não beba antes de dirigir. O álcool afeta a visão, o comportamento e os reflexos do motorista. O limite máximo permitido de álcool no sangue é de 0,6 g por litro de sangue.
• Tenha sempre os seguintes equipamentos de segurança no carro: extintor de incêndio, triângulo e macaco.
• Use sempre o cinto de segurança. Ele protege a sua vida, impedindo que seja atirado contra o vidro e sofrendo grandes impactos.
• Obedeça rigorosamente à sinalização de trânsito.
• As crianças só devem andar no banco traseiro, com cinto de segurança.
• Nunca dirija com crianças no colo e não deixe que coloquem mãos, braços e cabeças para fora do carro.
• Nunca ultrapasse pela direita e mantenha distância dos outros veículos.
• Faça revisões rotineiras. Os veículos desregulados podem provocar: excesso de fumaça preta e fuligem, aumento do consumo de combustível e desgaste do motor, dificuldade de visibilidade nas estradas e danos à saúde e ao meio ambiente.



Pedestre no trânsito
Algumas dicas para sua segurança:
• Nas estradas, andar sempre em sentido contrário ao dos veículos e em fila única, utilizando obrigatoriamente o acostamento onde existir.
• Nas vias urbanas, andar sempre à esquerda da rua; e em fila única e em sentido contrário ao dos veículos, onde não houver calçadas ou faixas privativas destinadas ao pedestre.
• Não cruzar a pista de viadutos, pontes ou túneis, exceto onde exista sinalização permitindo a travessia.
• Ao descer do ônibus, aguardar no passeio a saída do veículo.
• Cruzar a via pública somente na faixa própria, obedecendo à sinalização. Quando não houver a faixa, atravessar perpendicularmente às calçadas e na área de seu prolongamento.
• Não andar fora da faixa de pedestre nos lugares onde ela existir.
• Não utilizar vias em agrupamento capazes de perturbar o trânsito, ou para a prática de atividades de lazer, esportes, desfiles e similares, sem a devida autorização.
• Obedecer e respeitar à sinalização de trânsito. Ela existe para a segurança de todos.
• Recorrer sempre ao guarda de trânsito em caso de necessidade.



Cuide da segurança do seu filho
Dirija com atenção e redobre o cuidado ao transportar crianças.
• Nunca dirigir com uma criança no colo. Este é um risco inconcebível.
• As crianças devem sempre usar o cinto de segurança, obedecendo-se aos seguintes critérios:
• Crianças com idade inferior a 10 anos devem ser transportadas no banco traseiro.
• Até um ano de idade, deve-se usar o porta-bebê.
• Até sete anos, assentos infantis com cinto de segurança e presos ao banco.
• Acima disso, nas laterais do banco traseiro e cinto de segurança, pois no centro podem ser jogadas contra o painel.
• Nunca transportar crianças no bagageiro. Em caso de batidas na traseira do veículo, o impacto sobre elas é sempre maior.
• Carros em movimento devem ter as portas sempre travadas.
• Não deixar as crianças colocarem as mãos, braços ou a cabeça para fora da janela. Abrir o vidro apenas o suficiente para ventilar.
• As crianças devem subir e descer do carro sempre pela calçada.
• Evitar parar ou estacionar em fila dupla na porta da escola. Vá sempre ao encontro das crianças, caso você tenha parado do outro lado da rua.
• Não fumar dentro do carro. O vento pode atirar para trás as brasas do cigarro, que podem provocar queimaduras nas crianças.




Pedestre: atravesse com segurança
Ao atravessar vias públicas, tendo ou não faixa de pedestre, fique vivo e siga as orientações do DER/MG.
• Atravessar sempre na faixa de pedestre.
• Antes de iniciar a travessia, olhar em todas as direções e permanecer atento ao movimento dos carros até chegar ao outro lado da rua.
• Atravessar a rua sempre em linha reta e evitar atravessar em curvas e lombadas, onde a visibilidade não é boa para os motoristas e nem para os pedestres.
• Nunca passar pelos espaços entre os carros estacionados, quando for atravessar a pista, para não dificultar a visão dos motoristas.
• As passarelas e as passagens subterrâneas, quando existirem, devem ser utilizadas sempre, devido à segurança que proporcionam.
• Nas estradas, se existir acostamento, o pedestre é obrigado a utilizá-lo; se não existir, deverá caminhar o mais distante possível da pista e , se estiver em companhia de outras pessoas, caminhar em fila única.
• Com criança, segurar sempre em seu pulso ao atravessar a rua.
• Ao descer do ônibus, esperar que o veículo se afaste e aguardar o momento seguro para atravessar.
• Andar na calçada, sempre afastado da pista e longe dos carros em movimento; onde não houver calçada, caminhar em sentido contrário ao dos veículos.
• Respeitar a sinalização e, sempre que necessário, procurar a ajuda do guarda de trânsito.




Cinto de segurança, sempre
Motoristas e passageiros conscientes, usam o cinto de segurança.
No banco da frente e no banco de trás.
• Uma pessoa de 70 kg, sem o cinto no banco de trás, será projetada para a frente com uma força equivalente a de um objeto de 3.500 kg.
• Uma criança de 10 kg, sem o cinto no banco de trás, será projetada para a frente com uma força equivalente a de um objeto de 1.000 kg.
• O número de traumas em passageiros do banco de trás vem crescendo significativamente.
• A falta do cinto de segurança no banco de trás já é responsável por cerca de 30% dos feridos no trânsito: nos hospitais, de cada dez vítimas atendidas, três estavam no banco traseiro e sem o cinto.
• O passageiro do banco traseiro está sujeito aos mesmos traumas que o da frente. E ainda pode machucar quem está no banco dianteiro. No caso de uma colisão, o passageiro de banco de trás vai causar uma sobrecarga em quem está na frente. Assim, o risco reduz também para quem está no banco da frente, se os ocupantes do banco de trás estiverem com cinto de segurança.
• A não utilização do cinto implica em pagamento de multa e perda de pontos na Carteira de Habilitação, no caso de morte ou lesão grave de passageiros do banco de trás, poderá ser movida uma ação penal contra o motorista, que ainda poderá perder a habilitação e pegar até quatro anos de prisão.
• O motorista é responsável por tudo o que acontece dentro do veículo.

PROJETO ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL

PROJETO ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL

Projeto estimula o consumo de frutas, legumes e verduras




Ter uma vida saudável a cada dia que passa está sendo mais difícil. Produtos alimentícios industrializados são comercializados em grande quantidade, pregando a facilidade de uma vida prática e saudável. Por meio dessa falsa ideia de se viver com saúde, as crianças cada vez mais têm uma alimentação não muito nutritiva: salgadinhos, doces, entre outros.

Felizmente, algumas pessoas de forte influência na mídia estão abrindo os olhos para essa realidade e trazendo informações e dicas para se ter uma vida saudável, utilizando a maior fonte de saúde: a natureza, alimentando-se de verduras, legumes e frutas, tratando desse assunto como se fosse uma grande descoberta.

No entanto, esse tipo de alimentação não é novidade. Ao criar o mundo, Deus pensou em tudo, inclusive na alimentação do ser humano, dando-lhe plantas com todos os valores nutritivos suficientes para viver de forma saudável.

Por meio desse conhecimento, é nosso intuito trabalhar com os alunos da nossa Escola uma alimentação saudável, dada a nós como presente das mãos do nosso Criador, a fim de termos vida com mais qualidade. O projeto vai trazer à sala de aula uma visão mais atrativa aos olhos das crianças de como ter um viver mais saudável.

Será desenvolvido com atividades lúdicas como, salada de frutas, desenhos, músicas,poesias,confecções de marcador de livros e colagem culminando com um passeio pelo Mercado Central de Belo Horizonte.



Áreas de Conhecimento:Educação Religiosa

- Ouvir histórias sobre alimentação saudável que Deus nos deu.

- Ouvir a história da criação, especialmente sobre o 3º dia.



Língua Oral e Escrita

• Falar e escutar

- Ouvir informações referentes ao tema em estudo por meio da leitura feita pelo professor de textos informativos e das rodas de conversa.

- Contar curiosidades sobre as frutas, verduras e legumes.

- Fazer relato oral sobre o crescimento do pé de feijão.

Prática de escrita


- Produzir listas de frutas, verduras e legumes preferidos dos alunos.

- Fazer pesquisa sobre frutas, verduras e legumes de sua preferência.

• Prática de leitura

- Ler textos informativos e curiosidades sobre os benefícios de frutas, legumes ou verduras.



Natureza e Sociedade

- Plantar sementes de feijão a fim de observarmos o seu crescimento.

- Perceber a necessidade de frutas, verduras e legumes na nossa alimentação.

- Vivenciar atitudes de pesquisa em casa.



Artes Visuais

- Desenhar e pintar com guache, legumes de sua preferência.;

- Usar massinha de modelar para fazer frutinhas de sua preferência.



Etapas do projeto

• Apresentação do tema às crianças.

• Definição do cronograma de atividades.

• Envio da síntese aos pais.

• Execução das atividades previstas no projeto.

• Avaliação do projeto na culminância.

Avaliação

Cada criança será avaliada a partir dos seguintes critérios:

- Apresenta atitudes de respeito e preservação à natureza criada por Deus?

- Apresenta procedimentos de pesquisa em sala?

- Percebe os cuidados necessários para ter qualidade de vida por meio da alimentação saudável?

PROJETO DE INTERVENÇÃO AO USO DE DROGAS

PROJETO DE INTERVENÇÃO AO USO DE DROGAS


INTRODUÇÃO

O uso de drogas é um fenômeno bastante antigo na história da humanidade e constitui um grave problema de saúde pública, com sérias conseqüências pessoais e sociais no futuro dos jovens e de toda a sociedade.
A adolescência é um momento especial na vida do indivíduo. Nessa etapa, o jovem não aceita orientações, pois está testando a possibilidade de ser adulto, de ter poder e controle sobre si mesmo. É um momento de diferenciação em que "naturalmente" afasta-se da família e adere ao seu grupo de iguais. Se esse grupo estiver experimentalmente usando drogas, o pressiona a usar também. Ao entrar em contato com drogas nesse período de maior vulnerabilidade, expõe-se também a muitos riscos. O encontro do adolescente com a droga é um fenômeno muito mais freqüente do que se pensa e, por sua complexidade, difícil de ser abordado.

JUSTIFICATIVA

Vimos a necessidade de desenvolver o Projeto de Prevenção ao Uso de drogas entre os nossos jovens,uma vez que estamos situados numa área de risco e de grande vulnerabilidade social.A escola está situada numa área com poucos atrativos saudáveis para a vida do jovem,ele está inserido num contexto de marginalização e violência muitas vezes reforçado pela ociosidade.
Pensamos que o conhecimento acerca da prevenção é o melhor argumento no que diz respeito ao uso de drogas.
Objetivo geral
Promover um espaço de discussão sobre as questões relacionadas a prevenção das drogas vinculado ao desenvolvimento do protagonismo dos jovens focando a saúde e a prevenção.

ABRANGÊNCIA

Pais,alunos,professores e funcionários.
Resultados esperados
. Jovens conscientes de suas escolhas;
. Jovens informados sobre a Prevenção das Drogas.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS

• Propiciar a discussão de situações cotidianas relacionadas ao uso,abuso e/ou tráfico de drogas.
• Refletir sobre a melhor forma de agir com usuários ou traficantes de drogas lícitas e ilícitas.
• Refletir sobre as formas de proteger-se,individual e coletivamente,das situações de vulnerabilidade ao abuso ou tráfico de drogas.

Produtos
. Comunidade escolar sensibilizada.
. Projeto avaliado e monitorado.


Programa desenvolvido na escola nos quais é possível inserir o tema

A Feira de Cultura que geralmente acontece em outubro é uma ocasião interessante para inserir o tema com exposição de trabalhos e apresentação de peça teatral e grupo de dança da escola, desenvolvidos acerca da Prevenção e Acolhimento na área de tabagismo,alcoolismo e outras drogas. Ainda,poderá ser inserido em salas de aulas nas disciplinas de Filosofia e Biologia.




Implementação do Projeto de Prevenção ao Uso de Drogas nas Escolas


A necessidade de implementar um projeto de prevenção ao uso de drogas nas escolas, considerando-se a diversidade e a complexidade do uso contemporâneo de drogas e o papel da escola, como uma agência de socialização, ambos historicamente determinados. As concepções analisadas são concepções sobre drogas; a relação entre drogas e sexualidade - como um dos eventos vinculados ao processo de saúde do jovem; e concepções e objetivos da prevenção dando enfoque a legislação sobre o uso do tabaco em ambientes públicos e sobre a propaganda de cigarros;consumo de álcool e a questão do beber e dirigir.

O estudo da afetividade e da sexualidade relacionada ao uso de drogas e a legislação sobre o uso do tabaco é dirigida aos adolescentes e tem natureza interdisciplinar, o que implica levar em consideração os três pólos envolvidos nesse processo: a droga utilizada, o contexto histórico e cultural e a classe social a que pertence o adolescente, sem perder de vista suas características singulares - de personalidade e trajetória de vida. 

A escola, devido à possibilidade de acesso aos jovens e à natureza educacional do seu trabalho, é considerada, em todo o mundo, o locus privilegiado dos programas de prevenção dirigidos aos adolescentes. No entanto, podem-se observar de diferentes ângulos da sociedade a relutância e o despreparo da instituição escolar para lidar com os problemas sociais e as transformações culturais da sociedade contemporânea, especialmente com temas considerados tabus como é o caso de drogas e sexualidade.

Palestra sobre Os malefícios do cigarro

Abertura: mensagem em vídeo sobre o tabagismo

Itens importantes a serem abordados

• O que tem dentro do cigarro?
• Os cigarros light são menos danosos à saúde?
• Os benefícios de parar de fumar?

O que tem dentro do cigarro

O processo de produção do cigarro industrial envolve muitos passos e processos químicos e a adição de vários produtos conhecidos mas, em geral,não associados com cigarros.

Ao ser queimado, o tabaco produz uma fumaça composta de, pelo menos, 4.800 componentes (identificados até 2002), sendo 68 deles já identificados como reconhecidamente carcinogênicos (que provocam câncer).

Alguns desses aditivos são:
• Amônia – também usada em produtos para desinfetar banheiros.
• Acetona – também usada para remover esmaltes e tintas.
• Arsênico – inseticida, também venenoso para seres humanos.
• Cianeto – veneno usado em câmaras de gás durante a Segunda Guerra Mundial.
• Tolueno – solvente industrial.
• Butano – usado como gás de isqueiro.
• Monóxido de carbono – gás tóxico emitido na fumaça de carros.
• DDT – inseticida.
• Naftalina – produto que usamos para matar traças e baratas.
• Cadmium –usado em baterias de carro.

Além desses, existem outros componentes que estão presentes apenas nos cigarros,como é o caso do alcatrão e da nicotina.


Os cigarros light são menos danosos à saúde?

Os cigarros com filtro foram introduzidos a partir dos anos 50,quando se iniciou o movimento de conscientização do risco do tabaco à saúde.Era uma garantia de que ele tinha o poder de absorver os componentes tóxicos da fumaça sem alterar o sabor.

Nos fins dos anos 60,a indústria introduziu cigarros com baixos teores de alcatrão e nicotina e eram garantidos e comprovados por meio de medidas científicas,atingindo alto índice de sucesso entre os consumidores.

Após anos de pesquisa sobre o assunto,chegou-se a conclusão de que esses cigarros são absolutamente iguais aos outros em termos de riscos à saúde.Devido ao mecanismo de compensação que os fumantes estabelecem ao fumar esses cigarros, eles fumam com maior intensidade,tragam mais devagar,retendo a fumaça por mais tempo no pulmão,fumam o cigarro até o finzinho e, muitas vezes,tapam os orifícios que os filtros de cigarros têm nas laterais,com os dedos ou a boca.Sendo em geral mecanismos inconscientes gerados pela adaptação de comportamento.

Os cigarros light, ou com filtro,provocam o mesmo número de mortes e doenças que os cigarros tradicionais.

Os benefícios de parar de fumar

Como seu corpo reage quando você pára de fumar:

• 20 minutos depois do seu último cigarro: seu batimento cardíaco fica menos acelerado.
• 12 horas depois: níveis de monóxido de carbono voltam ao normal no seu sangue.
• De 2 semanas a 3 meses depois do seu último cigarro: seu risco de morrer de ataque cardíaco começa a diminuir.Suas funções pulmonares começam a melhorar.
• De 1 a 9 meses depois do último cigarro: tosse e falta de ar diminuem.
• 1 ano depois do último cigarro: seu risco de contrair doenças coronarianas já é metade do que era quando você fumava.
• 5 anos depois de parar de fumar: seu risco de derrame é reduzido para o de um não fumante de 5 a 15 anos de parar de fumar.
• 10 anos depois de parar de fumar: a chance de morrer por câncer de pulmão é metade do que a de um fumante,os riscos de morrer de câncer de boca,garganta, esôfago,bexiga, fígado e pâncreas diminuem.
• 15 anos depois de parar: seu risco de contrair doenças coronarianas é o mesmo do de alguém que nunca fumou na vida.


Como trabalhar com meus alunos se sou fumante?

Adolescentes não vão poupar um professor que prega uma vida saudável e não consegue manter sua própria saúde.Os comentários são bem previsíveis : “como é que ele(a) quer discutir vida saudável e uso de drogas se, quando sai da escola,corre para acender um cigarro?”

As pesquisas sugerem que há uma saída,tanto para pais como para professores tabagistas : admitir o uso e contar as dificuldades para mudar.Compartilhar a trajetória e dizer que teria sido bom se tivesse oportunidade de repensar seu hábito de fumar antes de ter se tornado dependente.

Se esse é o seu caso,tente. Não fique na defensiva, tentando esconder o óbvio.Você pode ter boas surpresas.

Palestras: se não der para evitar,tente melhorá-las
Há pouca polêmica entre cientistas que fazem pesquisa sobre prevenção: convidar palestrantes, uma ou duas vezes por ano, para falarem na escola não tem o menor efeito na mudança de comportamento, ou mesmo de visão dos estudantes em relação às drogas.O principal efeito dessas iniciativas é apaziguar a consciência dos adultos, que pensam que estão fazendo algo positivo.
Mas,às vezes, por mais que você argumente que esses eventos não valem a pena,eles vão ocorrer.
Aqui vão algumas dicas para que as palestras não sejam esforço,dinheiro e tempo completamente perdidos:
• Prepare seus alunos primeiro: envolva-os em discussões de grupo para organizar dúvidas e comentários,fazer depoimentos ou analisar artigos de jornais ou revistas.Estimule o pensamento o pensamento crítico em relação ao assunto nessas discussões. Muitos adolescentes só vão ser sinceros se houver estímulo e sensação de que eles serão aceitos mesmo se tiverem opiniões diferentes.
• Depois da palestra,faça uma discussão em classe e convide-os a escrever um parágrafo de crítica do evento,analisando os pontos positivos e negativos.Uma idéia é que eles escrevam sem ter que assinar o nome e que troquem as críticas entre si.Eles poderão ler o que acharam do evento com sinceridade, sem ter medo de ter sua identidade revelada.
• O deboche deve ser tratado com neutralidade,mas críticas bem construídas são dignas de respostas.Tente envolver os alunos na procura de respostas.

DROGAS PSICOTRÓPICAS

são aquelas que atuam sobre nosso cérebro,alterando de alguma maneira nosso psiquismo e podem ser classificadas segundo 3 grupos ,o primeiro é aquele em que as drogas diminuem a atividade de nosso cérebro,ou seja, deprimem seu funcionamento,a pessoa que faz uso desse tipo de droga fica “desligada”,desinteressada pelas coisas.Por isso, essas drogas são chamadas de Depressoras da Atividade do Sistema Nervoso Central,é a parte que fica dentro da caixa craniana;o cérebro é o principal órgão.O segundo grupo de drogas são aquelas que atuam por aumentar a atividade de nosso cérebro,ou seja, estimulam o funcionamento fazendo com que o usuário fique “ligado”,elétrico,sem sono.São denominadas de Estimulantes de Atividade do Sistema Nervoso Central.O terceiro grupo,constituído por aquelas drogas que agem modificando qualitativamente a atividade do nosso cérebro,não se trata,portanto,de mudanças quantitativas,como aumentar ou diminuir a atividade cerebral.A mudança é de qualidade! O cérebro passsa a funcionar fora de seu normal, e a pessoa fica com a mente perturbada,por isso recebe o nome de Perturbadores da Atividade do Sistema Nervoso central.

As drogas psicotrópicas podem ser classificadas em três grupos de acordo com a atividade que exercem em nosso cérebro:
• 1. Depressoras da atividade do SNC;
• 2. Estimulantes da atividade do SNC;
• 3. Perturbadores da atividade do SNC.
Adolescente usuário de maconha e tem usado a droga na escola

As abordagens que usam como modelo básico a repressão e o aumento do controle social, apesar de terem sido aqueles que receberam mais destaque ao longo dos últimos anos, não mostram eficácia satisfatória,penso que no modelo da educação afetiva os resultados podem ser considerados no que diz respeito a desenvolver a auto-estima,a capacidade de lidar com a ansiedade,a habilidade de decidir e interagir em grupo,a comunicação verbal e a capacidade de resistir as pressões do grupo são as que podem apresentar melhores resultados entre os jovens usuários de maconha.
Uma questão que deve ser observada é a de que a droga nunca deve ser tratada como questão central mas, frequentemente deve ser um dos tópicos do programa de abordagem ao usuário da maconha.

Fazer citações sobre o rendimento escolar do jovem verificando os sintomas:
• Prejuízo da memória e habilidades de processar informações complexas;
• Irritação do seu sistema respiratório,pela constante presença da fumaça em seus pulmões;
• Aumento das suas possibilidades de desenvolver câncer de pulmão,uma vez que a maconha tem o mesmo teor de alcatrão que os cigarros de tabaco.
São intervenções que valem ser consideradas e analisadas juntamente com toda a equipe da escola,a fim de que tenha uma avaliação mais consistente do comportamento do jovem.
A criação de espaços de reflexão na escola sobre os malefícios causados pelo uso da maconha é bem aceito pelo jovem por ser um lugar para falar de assuntos que dificilmente são falados em outros ambientes que permitem abordar o jovem usuário de droga,além de permitir a reflexão pessoal e responsabilidade com o uso da maconha.
Buscar a família deste jovem para o acolhimento é outro fator de supra importância,decidir para onde encaminhar e a aceitação do tratamento pelo jovem vai depender muito da criação de um ambiente de confiança que propicie um diálogo aberto entre a escola e a família,de modo que possam entender que o consumo de maconha visa satisfazer necessidades legítimas por meios artificiais impróprios e de péssima malefício a saúde.
A busca de soluções para o controle ou a diminuição do uso da maconha entre os jovens deve estar sempre presente no ambiente escolar que preocupa-se com abem estar da humanidade.


Sou dependente de álcool?
Com algumas variações, o alcoolismo é caracterizado por:
• Compulsão (necessidade forte ou desejo incontrolável de beber);
• Perda de controle (incapacidade freqüente de parar de beber uma vez que já começou);
• Tolerância (necessidade de aumentar a quantidade de álcool para sentir os mesmos efeitos);
• Persistência do uso mesmo sabendo que ele está causando problemas;
• Sintomas de abstinência (ocorrência de náusea,suor,tremores,ansiedade,quando interrompe a bebida).

O presente trabalho foi elaborado com base nas Cartilhas do curso e artigos da internet .

Rúbia Mara de Assis

TEXTO: "PÉ DE CHOCOLATE" - PARA O ENSINO FUNDAMENTAL

TEXTO: "PÉ DE CHOCOLATE" - PARA O ENSINO FUNDAMENTAL - COM INTERPRETAÇÃO/GABARITO

TEXTO: “Pé de chocolate”         Já pensou que legal se chocolate nascesse em árvore? E é quase isso que acontece. O doce não nasce, mas só existe por causa do cacau, uma fruta que gosta de lugares quentes e úmidos e é típica das Américas Central e do Sul.         O cacaueiro tem uns 5 metros de altura e costuma viver até 100 anos. Essa árvore é muito cultivada na Bahia e na Amazônia. Geralmente é plantada no meio de outras árvores, pois não gosta de Sol forte nem vento.         O curioso é que o chocolate é feito com as sementes do cacau. A polpa, que é doce, pode ser usada em sucos, geleias e sorvetes.         Quem teve a ideia de fazer chocolate foram os astecas, um povo que habitava a América Central antes da chegada de Colombo. Eles faziam uma bebida com as sementes do cacau, que chamavam de chocoalt e que levava pimenta.         Quando chegou à Europa, a receita ganhou açúcar e ficou mais parecida com a delícia que conhecemos hoje.                                                        (Fonte: Revista Recreio, p.107 – 28/03/2002)


Interpretação do texto:

01 – O assunto tratado no texto, diz respeito a:
(A) Porque as pessoas comem chocolate.
(B) De onde vem o chocolate.
(C) Onde vende-se chocolate.
(D) Porque o chocolate é gostoso.

02 – As palavras cacaueiro, Bahia, chocolate e ideia são substantivos e podem ser classificados, respectivamente em:
 (A) derivado, próprio, simples e abstrato
(B) derivado, próprio, composto e concreto
(C) primitivo, próprio, simples e abstrato
(D) primitivo, comum, composto e concreto.

 03 – Qual o tipo de clima propício para o cultivo do cacaueiro? E em que região é cultivada?       O clima típico é quente e úmidos. É produzida na região das Américas Central e do Sul.

04 – No Brasil, quais os Estados produtores do cacaueiro?       É cultivada no estado da Bahia e na Amazônia.

05 – De acordo com o texto, qual é o tempo de vida do cacaueiro? E a que altura ele chega?       Pode chegar a 100 anos de vida. E atingi 5 metros de altura.

06 – Do cacaueiro, para que serve a polpa? e as sementes?       Da polpa, que é doce, é usada para sucos, geleias e sorvetes.       Das sementes, é utilizada para a fabricação do chocolate.

07 – Quem inventou o chocolate?       Os Astecas, que tiveram a ideia de fabricar o chocolate, sendo que eles faziam uma bebida da semente e que levava pimenta.

08 – A partir de quando, o chocolate ficou mais parecido com a delícia que conhecemos hoje?       Quando chegou a Europa, a receita ganhou o açúcar.

09 – Por quê, o autor colocou o título de “Pé de Chocolate”?       Porque a fruta que produz o chocolate, nasce de uma árvore. O cacaueiro.

10 – Por que o cacaueiro, é plantado no meio de outras árvores?     Porque ela não gosta de sol forte e nem de muito vento.sistema q48

Dinâmicas

DINÂMICA  DE INTEGRAÇÃO:

 O GATO E O RATO Público: crianças ou jovens. Material: nenhum. As crianças formam uma roda. Uma delas, o Rato, fica dentro da roda. Outra, o Gato fica fora da roda. O Gato pergunta: “Seu Ratinho está?” As crianças da roda respondem : “Não” O Gato pergunta: “A que horas ele chega?” As crianças respondem um horário a escolha. As crianças começam a rodar e o Gato vai perguntando: “Que horas são?” e as crianças respondem: “Uma hora” – “Que horas são?” – “Duas Horas” e assim até chegar ao horário combinado. As crianças na roda devem parar com os braços estendidos; o Gato passa a perseguir o Rato. A brincadeira acaba quando o Gato pega o Rato. Para os bem pequenos é preferível que os que estão na roda fiquem parados até que o gato pegue o rato. Para crianças maiores as que estão na roda podem ajudar o rato a fugir ou atrapalhar o gato, sem desfazer o círculo. Pode-se repetir a brincadeira algumas vezes, dando chance a quem quiser ser rato e gato. Procure parar a atividade antes que as crianças percam o interesse.como montar uma loja virtual

DINÂMICA: QUEBRA-GELO(DESCONTRAÇÃO) Caça ao tesouro Objetivo: ajudar as pessoas a memorizarem os nomes umas das outras, desinibir, facilitar a identificação entre pessoas parecidas. Para quantas pessoas: cerca de 20 pessoas. Se for um grupo maior, é interessante aumentar o número de questões propostas. Material necessário: uma folha com o questionário e um lápis ou caneta para cada um. Descrição da dinâmica: o coordenador explica aos participantes que agora se inicia um momento em que todos terão a grande chance de se conhecerem. A partir da lista de descrições, cada um deve encontrar uma pessoa que se encaixe em cada item e pedir a ela que assine o nome na lacuna. 1. Alguém com a mesma cor de olhos que os seus; 2. Alguém que viva numa casa sem fumantes; 3. Alguém que já tenha morado em outra cidade; 4. Alguém cujo primeiro nome tenha mais de seis letras; 5. Alguém que use óculos; 6. Alguém que esteja com uma camiseta da mesma cor que a sua; 7. Alguém que goste de verde-abacate; 8. Alguém que tenha a mesma idade que você; 9. Alguém que esteja de meias azuis; 10. Alguém que tenha um animal de estimação (qual?). Pode-se aumentar a quantidade de questões ou reformular estas, dependendo do tipo e do tamanho do grupo.como montar uma loja virtual


DINÂMICA: ÁRVORE DAS QUALIDADES (autoestima) Objetivo: Identificar qualidades e valores/ Favorecer a descontração dos alunos/Conhecer e reconhecer qualidades nos colegas. Material: Tronco de árvore confeccionado em cartolina, fita adesiva, flores previamente confeccionadas com miolo e cinco pétalas. Procedimentos: Colar o tronco na parede ou no quadro; explicar que agora iremos pensar em qualidades que temos(explicar o que é qualidade); explicar que essas qualidades nos deixam felizes e fazem com que os outros também fiquem felizes com isso, amigos, professores, família; pedir que escrevam uma qualidade em cada pétala e no centro(miolo) o nome; após todos terminarem a parte escrita, iniciar a montagem da árvore, chamando um a um no painel, para colarem a flor, falando o nome e as qualidades que tem; ao final, fechar ressaltando que todos nós temos qualidades e elas devem ser preservadas para o nosso bem e nossa felicidade. 16.


DINÂMICA: A ÁRVORE DO CONHECIMENTO Objetivo: Conhecer os participantes do grupo e suas opiniões relacionadas aos assuntos apresentados na árvore. Material: Árvore com perguntas dentro da bexiga Procedimentos: Cada participante se levanta e vai até a árvore, apresenta-se para o grupo, estoura uma bexiga e lê a pergunta para os demais participantes e responde de acordo com sua opinião.como montar uma loja virtual

DINÂMICA DO REPOLHO
Objetivos: Esta é uma forma bem criativa de saber o nível de conhecimento das pessoas, em relação a determinado assunto ou tema. Material: elaborar previamente em folha de papel sulfite questionamentos para que os participante  respondam. Enrolar cada folha, uma após outra, de modo que fiquem  assemelhada a um “repolho”. Procedimentos: Formar um círculo, e começar a passar o “repolho”. Colocar uma música bem ritmada e ficar de costas para o grupo. Parando a música, quem estiver com o “repolho” na mão deverá retirar a primeira folha, ler e responder. Senão souber o grupo pode ajudar e assim sucessivamente até que todas as pergunta sejam respondidas, quem ficar com a última pergunta é o ganhador. Obs.: Educador adapte esta dinâmica de acordo com o nível de conhecimento de seus alunos, não esquecendo que temos níveis diversificados em nossas salas de aula, portanto use perguntas relacionadas as áreas de conhecimento, em português por exemplo trabalhe com as sílaba, frases etc... Utilize também cálculos matemáticos etc...

 DINÂMICA DAS PALAVRAS Objetivo: reconhecer as palavras, usando a linguagem corporal. Material: Caixa de presente com palavras em fichinhas, lousa e giz. Procedimentos: Dividir os participantes em equipes, faça um sorteio para ver a equipe que começa, um participante retira a palavra da caixa sem que os demais vejam, faz a mímica da palavra para os colegas descobrirem, quem acertar leva ponto, em seguida peça para o aluno que acertou escrever a palavra na lousa e formar uma frase, em caso de alunos em fase de alfabetização o professor e os amigos poderão ajudar. Ganha o grupo que fizer mais ponto, o grupo que perder deverá cumprir uma prenda para o grupo vencedor. Obs: Educador tenha cuidado na escolha da prenda, deverá ser algo que todos se divirtam e não algo para prejudicar alguém.

 DINÂMICA: ABRIGO SUBTERRÂNEO Objetivo: Questionar sobre conceitos e valores morais, trabalhar a questão do preconceito no grupo e exercitar uma atividade de consenso. Material: caneta ou lápis e uma cópia do ‘abrigo subterrâneo’ pra cada participante. Processo: dividir o grupo em cinco pessoas ou dependendo do numero de participantes. Distribuir uma cópia do ‘abrigo subterrâneo” para cada participante. Orientar que cada pessoa deverá proceder a sua decisão individual,escolhendo até seis pessoas (da lista do abrigo) de usa preferência. Em seguida,cada subgrupo deverá tentar estabelecer o seu consenso,escolhendo também as suas seis pessoas. Ao final o facilitador sugere retornar ao grupão, para que cada subgrupo possa relatar os seus resultados. Proceder os seguintes questionamentos : Quais as pessoas escolhidas de cada subgrupo? Qual o critério da escolha / eliminação? Qual (is) o (s) sentimentos que vocês vivenciaram durante o exercício? Solução: Uma escolha livre de preconceitos seria promover um sorteio.

ABRIGO SUBTERRÂNEO.
Você está correndo um serio perigo de vida.Sua cidade está sendo ameaçada de um bombardeio.Você recebe a ordem de que deverá acomodar em um abrigo subterrâneo apenas seis pessoas,entretanto há doze precisando entrar no abrigo.Abaixo,estão quais as pessoas e suas características.Faça a sua escolha.Apenas seis poderão entrar no abrigo: ( ) um violinista,40 anos,viciado ( ) um advogado,25 anos ( ) a mulher do advogado,24 anos, que acaba de sair do manicômio. Ambos preferem ou ficar juntos no abrigo ou fora dele ( ) um sacerdote,75 anos ( ) Uma prostituta,com 37 anos ( ) um ateu,20 anos,autor de vários assassinatos ( ) uma universitária,19 anos,que fez voto de castidade ( ) um físico 28anos,que só aceita entrar no abrigo se puder levar consigo e sua arma ( ) um declamador fanático,21 anos,baixo QI ( ) um homossexual,47 anos geólogo ( ) um débil mental,32 anos,que sofre de ataques epiléticos ( ) uma menina,12 anos,baixo QI  como montar uma loja virtual