Viajando No Mundo dos Contos de Fada

Viajando No Mundo dos Contos de Fada

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Sugestões de Atividades de Matemática


Secretaria  Municipal   de Educação  de  Cortês
Diretoria de Ensino: Valdinere  Alves dos Santos
                                              
                                                 SAEPE     2011

           Sugestões  de Atividades   de Matemática 

1º) O número natural que é obtido quando é feita a adição de 3415 e 295 é :

(A) 6365           (B) 3710                (C) 3610               (D) 3600


2º)   Marquinho ganhou de sua mãe uma cédula de R$ 5,00, duas de R$ 2,00 e três moedas de   R$ 0,25 o que dá um total de  :

 (A)   R$ 7,25          (B)    R$ 7,75         (C)   R$ 9,25            (D)   R$ 9,75


3º) Faltam 31 dias para o aniversário de João. Quantas semanas completas faltam para o aniversário  dele?
(A) 3              (B) 4                        (C) 5                           (D) 6

4º) Uma peça de teatro teve início às   20h 30min. Sabendo que a mesma teve duração de 105 minutos, qual é esse tempo da peça em horas?

(A) 1h 5min             (B) 1h 25min           (C) 1h 30min      (D) 1h 45min 


5º)Ontem começou a chover às 15 horas e a chuva só parou hoje às 8 horas da manhã. Quanto   tempo ficou chovendo?

(A) 7 horas           (B) 11 horas               (C) 17 horas             (D) 23 horas


6º)Faltam 5 semanas e 5 dias para Antônio completar 9 anos. Quantos dias faltam para o aniversário        de Antônio?
(A) 10            (B) 14              (C) 19                 (D) 40 


7º) O Circo “Los Pampas” anuncia que o espetáculo vai começar às 15h 20min e terá duração  de 2 horas e 30 minutos.  Então a que horas vai terminar o espetáculo do circo?
(A) 17h 10min          (B) 17h 20min          (C) 17h 30min     (D) 17h 50min


8º) Um operário inicia seu trabalho na fábrica todos os dias às 8 horas determina suas atividades  às 14 horas. Quantas horas este operário fica na fábrica?
(A)     5                (B)     6               (C)     7             (D)   8


9º) Lucas trocou uma nota de R$ 50,00 por 3 notas de R$ 10,00 e por algumas notas de   R$ 5,00. Quantas notas de R$ 5,00 ele recebeu?

(A)       3           (B)        4        (C)        5               (D)          10

10º) Fernando tem, no seu cofrinho, cinco moedas de R$ 0,05, oito moedas de R$ 0,10 e três moedas de R$ 0,25. Que quantia Fernando tem no cofrinho?

(A) R$ 1,55            (B) R$ 1,80         (C) R$ 2,05           (D) R$ 4,05

11º)  O número 5.001 é igual a :

(A) 500 + 1        (B) 500 + 10            (C) 5.000 + 1            (D) 5.000 + 10


12º) Júlia está juntando dinheiro para comprar uma geladeira e um forno elétrico. Ela já possui R$  658,00. Resolveu comprar o forno que custou R$ 280,00. Quanto ainda precisa juntar para  comprar uma geladeira que custa R$ 750,00?
(A) R$ 102,00          (B) R$ 372,00           (C) R$ 382,00       (D) R$ 470,00

13º )Flávia estava jogando baralho. Na primeira partida, Flávia fez 325 pontos. Na segunda, fez   785 pontos. Na terceira partida, perdeu 465 pontos. Quantos pontos Flávia fez ao final    dessas três partidas?

(A) 535              (B) 545               (C) 645                       (D) 655

14º)   O dono de uma loja de brinquedos compra uma boneca por R$ 11,50 e vende esta mesma   boneca por R$ 13,40. Para cada boneca que vende, o dono da loja tem um lucro de  quantos reais?
(A) 24,90           (B) 2,90          (C) 1,90              (D) 0,90

15º) Uma passagem de ônibus da cidade de Abuí para Batatu custa 13 reais. Em uma viagem, o  trocador vendeu 15 passagens. Quanto ele recebeu?

(A) 28 reais       (B) 60 reais      (C) 185 reais     (D) 195 reais

16º) Em uma viagem, um caminhão transporta 2.250 tijolos. Quantos tijolos transportará em 35   viagens, levando sempre essa quantidade?

(A) 76.550      (B) 77.750     (C) 78.750     (D) 78.785

17º) Cecília comprou um televisor por R$ 4.200,00. Pagou em 8 prestações mensais iguais. Qual  foi o valor de cada apresentação?

(A) R$ 521,00         (B) R$ 522,00    (C) R$ 525,00   (D) R$ 1.525,00

18º) Para conseguir dinheiro para a construção de uma quadra de esportes, a diretora de uma escola mandou confeccionar camisetas que foram vendidas ao preço de R$ 12,00 cada. Com a venda foram arrecadados R$ 996,00. Quantas camisetas foram vendidas?
(A) 73      (B) 74            (C) 83                  (D) 84


19º) Em uma adição, as parcelas são 45.099; 742; 6.918 e 88. Qual é o valor da soma?
(A) 44.357          (B) 47.439           (C) 52.847 X          (D) 114.279

20º) O resultado de 38.080 – 27.132 é
(A) 10.948        (B) 11.152        (C) 11.948     (D) 11.958

20º) Qual é o resultado desta operação?   10.000 – 589
(A) 9.411              (B) 9.521          (C) 10.521             (D) 10.589

21º)  O produto de 50 x 231 é
(A) 11.050            (B) 11.550   (C) 11.600            (D) 11.650

22º) O resultado da multiplicação 64 x 32 é:
(A) 320          (B) 1.048         (C) 1.948        (D) 2.048

23º ) O cálculo de 480÷5 é

(A) 106            B) 96             (C) 86                   (D) 76

24º) O dono da padaria trocou R$ 7,00 por moedas de R$ 0,25. Quantas moedas ele recebeu?
(A) 14         (B) 21           (C) 28         (D) 35

25º) Outras divisões apresentam um zero no quociente. O resultado de
848 ÷8 é :
(A) 126          (B) 116          (C) 106             (D) 196

26 º)Uma viagem ao redor do mundo foi feita em 2 anos e 26 dias. Se 1 ano tem 365 dias, quantos dias durou essa viagem?

(A) 620 dias  (B) 630 dias  (C) 730 dias  (D) 756 dias

27º) Um programa de música sertaneja, pelo rádio, começa às 6h 55min. O programa seguinte começa às 7h 30min. Quantos minutos dura o programa de música sertaneja?
(A) 25         (B) 35          (C) 55               (D) 85

28º) Dona Clara está fazendo bolinhos de 60 g cada um. Quantos desses bolinhos ela fará com 1,2 kg de massa?
(A) 20             (B) 50             (C) 72              (D) 200
29º)Uma garrafa de refrigerante tem 1,5 litros de capacidade. Para comprarmos 9 litros deste refrigerante devemos pedir
(A) 6 garrafas.         (B) 7 garrafas.    (C) 7,5 garrafas.      (D) 8 garrafas.

30º)Bel comprou 3 blusas (cinza, azul e vermelha) e ela tem 2 saias (preta e  branca). Para ir a  uma festa, de quantas maneiras diferentes Bel poderá se vestir?
    (A) 3           (B) 4              (C) 5                  (D) 6 


DINÂMICA EM GRUPO


DINÂMICA EM GRUPO

DESENVOLVIMENTO:
PAZ: APERTO DE MÃO;
AMOR: UM ABRAÇO;
GARRA: TROCA DE LUGAR;
SORRISO: GARGALHADA;
BEM VINDOS: BATE-PALMAS.
                  “O GAROTINHO CHAMADO AMOR”

         Era uma vez, um garotinho chamado Amor.
         Amor sonhava sempre com a Paz. Um certo, dia sonhou quem a vida dó teria sentido quando ele descobrisse a Paz e foi justamente nesse dia que Amor saiu a procura da Paz.
         Chegando a Escola , onde estudava , encontrou seus amigos que tinham um Sorriso nos lábios e foi nesse momento que a Paz começou a perceber que o Sorriso dos amigos transmitia muita Paz  pois, sentiu ainda que Paz existe no interior de cada um de nós basta sorrir.
         E nesse momento com seu pensamento voando a turma gritou bem forte: Amor, Amor, Amor você encontrou a Paz que procurava.
         Amor respondeu com muita Garra: sim encontrei a Paz, o Sorriso e a Garra para junto de nós um Sorriso bonito e sejam bem-vindos.

                 PRIMEIRA SEMANA DE AULA


PLANO DIÁRIO
PRIMEIRO DIA DE AULA
TEMA: A ESCOLA
BOAS VINDAS
  • LEITURA COMPARTILHADA: A escola de Paulo Freire
  • Socialização
  • PEDIR PARA OS ALUNOS REPRESENTAREM AESCOLA  COMO ELAERA. Socializar no Grande Grupo ( Representar através de desenhos/produção textual)
  • PROMOVER UM PASSEIO PELA ESCOLA PARA (RE)CONHECER AS DEPENDÊNCIAS E OS FUNCIONÁRIOS.
  • REPRESENTAR A ESCOLA (produzir um texto coletivo);
  • MONTAR CARTAZ:
O QUE VOCÊ MAIS GOSTA NAESCOLA?
O QUE VOCÊ ACHA QUE DEVE MUDAR (MELHORAR) NA ESCOLA?
  • CANTAR CANÇÕES SOBRE A ESCOLA
  • BRINCADEIRAS COM BALÃO.  (o nome e as cores...)

CANTINHO LÚDICO
  • JOGOS VARIADOS... (Preparar um cantinho agradável na sala de aula para desenvolver essas atividades.)
                             Escola é..  (Paulo Freire)

O lugar onde se faz amigos
Não se trata só de prédios, salas, quartos,
Programas, horários, conceitos.
Escola é, sobretudo, gente,
Gente que trabalha que estuda,
Que alegra, se conhece se estima.
O diretor é gente,
O coordenador é gente,
O professor é gente,
O aluno é gente.
Cada funcionário é gente,
E a Escola será cada vez melhor
Na medida em que cada um Se comportar como colega, amigo, irmão.Nada de “ilha cercada por todos os lados”.
Nada de conviver com pessoas e depois descobrir que não tem amizade de ninguém. Nada de ser como um tijolo, que forma  a parede indiferente, frio, só.Importante na Escola não é só estudar, não é só trabalhar.
É também criar laços de amizade  e criar em cada ambiente de camaradagem.  É conviver É se “amarrar nela”!Ora é lógico...
      Numa escola assim vai ser fácil.
       Estudar, trabalhar, crescer,
      Fazer amigos educar-se, ser feliz.

Torta salgada de frango


Torta salgada de frango
                                                            INGREDIENTES:
Massa:
 1 xícara de farinha de trigo sem fermento
1 xícara de leite   1/2 xícara de óleo ou azeite  /2 ovos inteiros
2 colheres de queijo ralado
1/2 tablete de caldo de carne ou de frango
1 colher de fermento
 Recheio:
 1/2 kg de peito de frango cozido e desfiado
1/2 lata de milho verde
1/2 lata de ervilha
1/2 lata de azeitonas
1/2 cebola picadinha
1/2 tomate grande
300 g de queijo mussarela (opcional)
2 dentes de alho
Coentro opcional
Margarina
1 creme de leite (opcional)
MODO DE PREPARO:
Junte o leite, farinha de trigo, ovos, queijo ralado, óleo e o caldo no liquidificador, bata por 3 minutos.
 Depois de bater coloque o fermento em pó e bata mais um pouquinho.
 Recheio:

Coloque na panela o alho amassado, a cebola e a margarina.Refogue e em seguida coloque o frango desfiado.Desligue o fogo e coloque os ingredientes.
 Polvilhe a forma com margarina e farinha, e em seguida coloque metade da massa, o recheio, por cima o queijo mussarela e coloque o resto dos ingredientes.
Leve ao forno médio por 25 a 30 minutos.

 INFORMAÇÕES ADICIONAIS:
Pode fazer o recheio de frango e palmito, frango e queijo, carne de sol com queijo, carne de sol e azeitonas, carne de sol, salsicha, sardinha, atum, queijo e presunto, pode colocar legumes etc.Sempre refogue antes de usar.

dinâmica


- Objetivos:
- Cultivar boa convivência no grupo, na amizade e na verdade;
- Perceber as razões da falta de fraternidade e dos conflitos que surgem no
grupo de jovens, no grupo de trabalho.
2- Passos:
- Todos recebem a lista dos bichos e num momento pessoas, em silêncio, lêem
a lista e escolhem três bichos que mais se assemelham a ele;
- Dos três bichos escolhidos, ficar com apenas um com o qual se identifica;
- Grupos por bichos escolhidos - grupos dos gatos, grupo dos macacos, etc...
- durante 15 minutos partilhar o por quê escolheu tal bicho e como se
manifestam as características no dia-a-dia da própria vida.
3- Em plenário:
- Os grupos apresentam o seu bicho de forma criativa, com encenação,
dramatização, colocando as características do bicho escolhido.
- Comentários:
a) o que chamou a atenção, o que faltou, etc;
b) significado para o nosso grupo.
OS BICHOS
01- Leão: Rei da reunião. Quando urra, todos participam. Os ratinhos tremem
à sua frente. Não é agressivo. Está certo de sua superioridade. Boceja
despreocupadamente, pacientemente, com as peraltices dos outros.
02- Hiena: Não tem opinião própria. Aprova sempre o leão. Sempre recorda o
que o leão disse.
03- Tigre: É um leão ressentido por não ser reconhecido como rei pelo grupo.
Fica de mau humor, às vezes mais competente que o leão. É agressivo,
irônico, irrita o grupo que o coloca na jaula, e não toma conhecimento de
sua presença.
04- Raposa: Surpreende sempre o grupo; desvia o assunto; sofista, força o
assunto. Jamais caminha em direção ao objetivo.
05- Pavão: Mostra sempre a sua cultura. Não se interessa pelo objetivo e
pelo grupo. Não perde ocasião de mostrar seus conhecimentos. Preocupa-se
sempre consigo mesmo.
06- Cobra: Envenena as relações. Sempre de bote armado. Ai de quem comete
uma asneira. Provoca brigas e fica de fora.
07- Papagaio: Fala por todos os poros; comenta tudo. Fala alto, grita.
Ninguém lhe dá importância, nem ele próprio. Sempre por fora do assunto.
08- Coruja: Não fala, presta muita atenção. Pisca quando não entende.
assusta-se quando alguém a interpela. Pede desculpa quando intervém.
09- Carcará: Não gosta de discussão. Irrita-se quando o grupo não progride.
Quer decisões rápidas. Impaciente, levanta mas volta.
10- Girafa: Pelo modo de sentar-se e rir, acha o grupo indigno de sua
participação. Seu silêncio não permite saber-se se ela está por cima mesmo.
11- Macaco: Anedoteiro, espirituoso, bagunceiro, inteligente e superficial.
Sempre faz rir; ninguém o leva a sério. anima, mas termina irritado. No fim
está amuado e sem graça.
12- Gaivota; Voa pelo alto - abaixa. mas sobe logo. Vive solitária.
13- Cão: Inteligente, fareja tudo, mas ladra demais. Faz muito barulho por
pouco. Sempre vigilante para defender suas idéias.
14- Boi: Obstinado, lento. Não acompanha o grupo. Devagar e sempre.
15- Elefante: Sem sutileza. Leva tudo a peito. Não é feito para viver em
grupo. Quer ação. Quando intervém é para acabar a reunião.
16. Gato: Mia para chamar a atenção. solicitado, se enrosca e não quer
falar. Dengoso, prefere agir depois da reunião.
17. Coelho: Simpático, ágil, pulador. Não tem planos. Não é conseqüente.
Encolhe-se quando os maiores aparecem.
18. Esquilo - Acanhado, fugido, embaraçado. Dificilmente participa. Quebra
sozinho suas nozes. Se insistir muito, não volta.
19. Pombo: Fica arrulhando com o companheiro do lado. Só vive de par. Se o
interpelam, voa e volta ao companheiro.
20. Araponga: Sempre igual e vibrante. Tem idéia fixa. Só tem uma idéia. É
incapaz de seguir uma reunião.
21. Pica-Pau: Pega uma idéia e pulveriza-a. Não tem objetivos. Só sabe picar
idéias. Na discussão fica picando o que ficou para trás.
22. Aranha: É mestra em teia, onde se envolvem mosquitos e besouros. Na
discussão amarra um fio no outro. Não prepara plano, prepara armadilha.
23. Ouriço: Fica espinhento por tudo. Para ele, no grupo, não há idéias;
tudo são intenções.
24. Antílope: É arisco. Sempre farejando o ar para ver se não o querem pegar
de surpresa. Está sempre de sobreaviso. Não acredita em ninguém.
25. Hipopótamo: Fica mergulhado no assunto. Não sai das discussões. Sempre
mergulhado.
26. Ratinho: Nunca aparece, mas caminha entre todos. Rói as idéias. Passa
pela platéia às carreiras.
27. Zebra: Em cada fase da discussão apresenta ponto de vista diferente. Não
sabe somar as idéias. É preto ou Branco.
28. Camaleão: Está de acordo com todos. Vai para onde o leva o vento.
29. Foca: Muito curiosa e imaginosa. Interessa-se por tudo e mexe em tudo.Adora brincar.
30. Coati:  Fuçador. Intromete o nariz nas coisas com o objeto de
beneficiar-se. Uma vez satisfeito, perde o interesse.

A mesmice das reuniões de pais e mestres


A mesmice das reuniões de pais e mestres
Não houve engano algum quanto ao título. Foi mesmice mesmo que eu quis dizer, como poderia ter qualificado como “chatérrima” ou mesmo “entediante”. O adjetivo é apenas um alerta para chamar a atenção do quanto temos que mudar a maneira de fazer as famosas “reuniões de pais e mestres”.
Você pode pensar: “a reunião de pais e mestres da minha escola é diferenciada, pois aplicamos algumas dinâmicas com os pais, e para finalizar oferecemos comes e bebes”.
Mas não me refiro a esta inovação. Não é satisfatório saber que os pais comparecem à reunião porque vão se divertir participando das dinâmicas e ao final ainda vão ganhar um lanchinho.
O que precisa existir como válvula propulsora da reunião de pais e mestres é o interesse dos pais em participar ativamente da vida escolar do seu filho independente dele estar com problemas de aprendizagem ou de comportamento.
Temos que propiciar uma caminhada lado a lado efetivando uma cumplicidade entre pais, alunos e professores.
Há escolas que intimam a presença dos pais nas reuniões vinculando-a a entrega dos boletins. Estão agindo de forma antididática. Os pais não devem ser obrigados a ir, devem ir por vontade própria.
Há também o professor que inicia a reunião exaltando o paradigma da família do século passado. Este tipo de procedimento é desestimulante e provoca uma sensação de incompetência dos pais. O professor deve respeitar e orientar o modelo de família de hoje.
O que os pais realmente querem saber quando vão a uma reunião de pais e mestres é como a matéria está sendo ministrada; qual o retorno do seu filho frente à didática utilizada; que recursos o professor está utilizando para ensinar e qual é o olhar do professor para cada um dos seus alunos.
A família não quer mais o ensino massificado. Os alunos não devem ser encarados como uma multidão que caminha sem saber para onde. Cada vez mais necessitamos ser olhados como indivíduos e temos que saber qual a aplicabilidade do que está sendo ensinado.
Esta visão se encaixa tanto para o aluno quanto para os pais.
O pai tem que ter espaço para se manifestar. Ele tem que ser ouvido, pois sua dúvida pode ser a dúvida de muitos outros pais e é nesta ocasião que deve ser compartilhada.
Ouvir o pai, além de ser muito importante gera uma motivação maior, pois ele se sente participante resultando na troca de idéias e esclarecimentos.
Na verdade sabemos que os pais adoram participar da vida escolar haja vista que ao encerrar a reunião de pais e mestres, muitos ainda continuam nas dependências da escola trocando experiências. Também podemos citar as festas organizadas pela escola. Quando esta requisita a participação dos pais, o resultado é sempre muito positivo. O que precisa acontecer é a escola abrir espaço para que a família entre.
A maioria dos professores reclama que os pais estão cada vez mais transferindo para a escola a formação total de seus filhos. Ocorre que nada está sendo feito para propiciar a mudança desta realidade. Muito pelo contrário, a escola faz questão de manter os procedimentos antigos onde a presença dos pais era requisitada somente em casos de reclamações. Até hoje, se o aluno vai bem, o pai nunca precisa ir à escola.
A bem da verdade, na história das escolas* nunca houve a participação ativa dos pais, resultante, no princípio, da maioria deles serem analfabetos ou terem pouca instrução. Por esta razão o respeito ao professor era imenso tanto por parte do aluno quanto da família, e a sua voz era tida como lei a qual ninguém contrariava.
Foi da metade do século XX em diante que um número grande de pessoas começou a ter acesso à educação e formar famílias com grau de escolaridade, inclusive, de ensino superior. Foi por esta razão que se iniciou um clamor por parte dos professores frente a uma maior participação dos pais junto à escola.
Ocorre que para que isto ocorra os pais têm que ser orientados. É a escola que precisa favorecer esta abertura para que os pais caminhem junto no aprendizado do seu filho. Eles não sabem como devem proceder. Já fui testemunha de pais que querendo ser atuantes na formação educacional do seu filho acabaram atropelando o professor e criando até uma situação de animosidade entre eles. Há pais que ao fazer o trabalho de casa junto com os filhos se acham no direito de cobrar uma nota melhor.
Todas estas atitudes mostram como estão perdidos quanto a melhor maneira de ajudar seus filhos. Ninguém melhor que o professor para dar as coordenadas, e não há ocasião melhor do que a reunião de pais e mestres para orientá-los.
A escola precisa disponibilizar informações que oriente e possibilite o envolvimento dos pais estabelecendo uma relação construtiva com a escola.
A mudança deve começar pela disposição física da sala onde a reunião de pais e mestres será realizada. Assim como nas salas de aula, as carteiras devem ficar dispostas em círculo ou semicírculo, onde todos possam ver uns aos outros. Esta prática irá favorecer um entrosamento maior entre os pais, e dos pais com o professor principalmente, se ao iniciar a reunião estes forem estimulados a falar, cada um o seu nome acrescido de alguma característica sua, quando aluno. Esta apresentação fará com que todos se conheçam propiciando um ambiente descontraído. Em seguida o professor poderá iniciar a reunião tocando nos pontos principais, mas sempre priorizando a participação atuante dos pais.
A reunião deve seguir como um delicioso bate-papo podendo, a qualquer momento, haver manifestações tanto de discordância quanto de dúvidas ou sugestões.
As reuniões tradicionais normalmente iniciam com as regras que devem ser cumpridas pelos pais e alunos. Em seguida há o pedido de uma participação mais ativa dos pais na vida escolar dos filhos sugerindo que acompanhem diariamente a lição de casa bem como orientem em épocas de provas e nos trabalhos sugeridos.
Ocorre que o pai irá atender este pedido provavelmente, durante a primeira semana. Da segunda semana em diante ele não se sentirá mais motivado a fazê-lo e justificará a sua não participação alegando que esta tarefa pertence ao professor.
A motivação dos pais também tem que ser trabalhada constantemente e o professor para isto deverá conhecer muito bem a comunidade que atua escolhendo quais os assuntos que chamam mais a atenção das famílias. É justamente aí que a convivência entra como facilitador deste conhecimento.
Deverá a escola abrir as portas aos pais conferindo valor e respeito à diversidade. Sabe-se de uma maneira geral que o ser humano adora compartilhar os episódios que fizeram parte da sua história. Pode-se tirar proveito da diversidade tomando conhecimento das curiosidades trazidas pelos pais: dos lugares onde moraram, das diferenças no linguajar, nos costumes, na culinária e das histórias típicas de cada região. Todas estas contribuições são de uma riqueza imensa e completamente motivadoras para os pais e consequentemente para os filhos.
Então professores, vamos trazer os pais para dentro da escola e consolidar esta união de forças, que com certeza, quem sairá ganhando será principalmente o aluno.
Vamos fazer de nossas reuniões de pais e mestres, reuniões onde a empolgação, a cooperação, a participação estejam sempre presentes nos professores, nos pais e nos alunos.
*Nas primeiras escolas (séc. XVI) as aulas eram ministradas por jesuítas e existiam a serviço da fé. Mais tarde (séc. XIX), já ministradas por professores atuavam a serviço do Estado. Depois vieram os colégios internos (séc. XX), aonde os pais também não participavam ficando a formação de caráter e intelectual sob a responsabilidade das escolas, onde os alunos deveriam aprender o essencial para se tornarem cidadãos e saberem viver em sociedade. Depois surgiram além dos colégios internos, as escolas de períodos em que a figura do professor era central na escola e na comunidade sendo suas atitudes respeitadas e indiscutíveis.
Cybele Meyer

PROJETO ALIMENTAÇÃO


PROJETO ALIMENTAÇÃO

JUSTIFICATIVA

A escola exerce uma grande influência sobre as crianças e os adolescentes, contribuindo enormemente para a formação de seus valores. Ela representa o lugar ideal para o desenvolvimento de programas de promoção da saúde, como o de Alimentação Saudável. Após observação em horário de merenda, percebemos a difícil aceitação de alguns alimentos, por uma boa arte de alunos. Sentimos então, a necessidade de orientá-las para que sejam capazes de valorizar e buscar uma alimentação balanceada, visando a melhor qualidade de vida, a conscientização sobre a relação entre boa saúde, alimentação e higiene.

OBJETIVOS GERAIS

·   Reconhecer a importância de uma boa alimentação.
·   Desenvolver a habilidade de coletar dados sobre os alimentos.
·   Investigar o valor nutritivo dos alimentos.
·   Identificar e diferenciar frutas, legumes e verduras.
·   Reconhecer derivados de diversos alimentos.
·   Conhecer os profissionais que atuam especificamente na área de alimentação.
·   Conhecer a origem de diversos alimentos.
·   Conscientizar os sobre a importância da higiene em relação aos alimentos.
·   Identificar o reino vegetal.
·   Desenvolver o raciocínio lógico, a expressão oral e a coordenação motora, a percepção auditiva e visual da criança.

PERÍODO E DURAÇÃO DO PROJETO
   O Projeto será desenvolvido no decorrer do 2º semestre

PÚBLICO ALVO
 Alunos do  Pré e equipe escolar.

DISCIPLINAS ENVOLVIDAS
Linguagem Oral e Escrita, Matemática, Natureza e Sociedade, Artes.
METODOLOGIA / ATIVIDADES
·   Roda de conversa
·   Desenho
·   Pintura
·   Gráficos
·   Listas
·   Experiências (salada de frutas, sucos, etc.)
·   Leituras
·   Dramatizações
·   Murais
·   Construção de cartazes
·   Jogos da memória
·   Leitura de diferentes tipos de texto
·   Pesquisa (em sala e em casa)
·   Musicas
·   Escrita espontânea
·   Manuseio de alimentos
·   Cruzadinha
·   Caça-palavras
·   Filmes
·   Teatro
·   Observações e registro
·   Confecção de caderno de receitas
·   Produção de texto = cardápio
RECURSOS NECESSÁRIOS

·   Papéis diversos
·   Revistas
·   Tesoura, cola, canetinha, lápis de cor.
·   Livros
·   Frutas
·   Verduras
·   Sementes
·   Panfletos

COMPETÊNCIAS

·   Conscientização;
·   Saber ouvir com atenção;
·   Criar hábitos sociais;
·   Observação e identificação;
·   Investigação;
·   Adquirir, avaliar e transmitir informações;
·   Respeito e cuidado;
·   Cooperação e trabalho em equipe.
AVALIAÇÃOO Projeto será avaliado sempre que for necessário, de forma contínua a partir da participação, desempenho, cooperativismo, integração do grupo, disponibilidade e, principalmente, o engajamento efetivo durante o desenvolvimento do mesmo, podendo ser alterado a qualquer momento, conforme as circunstâncias e necessidades apresentada
CULMINÂNCIA
Apresentação e exposição dos trabalhos realizados em sala e da Horta escolar.