Viajando No Mundo dos Contos de Fada

Viajando No Mundo dos Contos de Fada
Admirando a beleza

sexta-feira, 24 de abril de 2015

Gêneros textuais e esferas de circulação

Gêneros textuais e esferas de circulação

Coletânea de textos :: Gêneros textuais e esferas de circulação

Neste espaço você encontra uma relação dos diferentes gêneros textuais e as esferas de circulação deles.

COTIDIANA: Adivinhas, Diário, Álbum de Família Exposição Oral, Anedotas, Fotos, Bilhetes, Músicas, Cantigas de Roda, Parlendas, Carta Pessoal, Piadas, Cartão, Provérbios, Cartão-postal, Quadrinhas, Causos, Receitas, Comunicado, Relatos de Experiências Vividas, Convites, Trava-Línguas, Curriculum Vitae.

LITERÁRIA/ARTÍSTICA:
 Autobiografia, Letras de Músicas, Biografias, Narrativas de Aventura, Contos, Narrativas de Enigma, Contos de Fadas, Narrativas de Ficção, Contos de Fadas Contemporâneos, Narrativas de Humor, Crônicas de Ficção, Narrativas de Terror, Escultura, Narrativas Fantásticas, Fábulas, Narrativas Míticas, Fábulas Contemporâneas, Paródias, Haicai, Pinturas, Histórias em Quadrinhos, Poemas, Lendas, Romances, Literatura de Cordel, Tankas, Memórias, Textos Dramáticos.

CIENTÍFICA: Artigos, Relato Histórico, Conferência, Relatório, Debate, Palestra, Verbetes, Pesquisas

ESCOLAR: Ata, Relato Histórico, Cartazes, Relatório, Debate, Regrado, Relatos de Experiências, Diálogo/Discussão Argumentativa Científicas, Exposição Oral, Resenha, Júri Simulado, Resumo, Mapas, Seminário, Palestra, Texto Argumentativo, Pesquisas, Texto de Opinião, Verbetes de Enciclopédias

IMPRENSA: Agenda Cultural, Fotos, Anúncio de Emprego, Horóscopo, Artigo de Opinião, Infográfico, Caricatura, Manchete, Carta ao Leitor, Mapas, Mesa Redonda, Cartum, Notícia, Charge, Reportagens, Classificados, Resenha Crítica, Crônica Jornalística, Sinopses de Filmes, Editorial, Tiras, Entrevista (oral e escrita)

PUBLICITÁRIA: Anúncio, Músicas, Caricatura, Paródia, Cartazes, Placas, Comercial para TV, Publicidade Comercial, E-mail, Publicidade Institucional, Folder, Publicidade Oficial, Fotos, Texto Político, Slogan.

POLÍTICA: Abaixo-Assinado, Debate Regrado, Assembleia, Discurso Político “de Palanque”, Carta de Emprego, Fórum, Carta de Reclamação, Manifesto, Carta de Solicitação, Mesa Redonda, Debate, Panfleto.

JURÍDICA: Boletim de Ocorrência, Estatutos, Constituição Brasileira, Leis, Contrato, Ofício, Declaração de Direitos, Procuração, Depoimentos, Regimentos, Discurso de Acusação, Regulamentos, Discurso de Defesa, Requerimentos.

PRODUÇÃO E CONSUMO: Bulas, Relato Histórico, Manual Técnico, Relatório, Placas, Relatos de Experiências Científicas, Resenha, Resumo, Seminário, Texto Argumentativo, Texto de Opinião, Verbetes de Enciclopédias.

MIDIÁTICA: Blog, Reality Show, Chat, Talk Show, Desenho Animado, Telejornal, E-mail, Telenovelas, Entrevista, Torpedos, Filmes, Vídeo Clip, Fotoblog, Vídeoconferência, Home Page.

Diferença entre Tipologia Textual e Gênero Textual

Diferença entre Tipologia Textual e Gênero Textual


O termo "tipo de texto" aqui usado  refere-se à intenção comunicativa do autor, isto é,  a forma como ele se se apresenta. Podemos identificar as 5 (cinco) razões principais para escrever e que, dessa  forma, circunscrevem os 5 tipos de textos mais usuais:
Narrativo: O autor escreve para narrar, contar histórias.
Informativo: o autor escreve para informar.
Persuasivo: O autor escreve para coonvencer.
Procedimentos: o autor escreve para explicar um procedimento, como funciona, como se faz.
Poema: O autor escreve para emocionar, para sensibilizar;
Gênero Textual:
Refere-se às diferentes formas de expressão textual como por  exemplo: poesia, crônica, contos, prosas, etc. Os gêneros textuais englobam estes e todos os textos produzidos por usuários de uma língua. Assim, poderemos também identificar a carta pessoal, e-mail, conversas pelo telefone e tantos outros exemplares de gênero que estão a todo momento em nossa volta.

Portanto, os gêneros textuais são apresentados a todo momento em textos produzidos pelas pessoas e que a forma ou a estrutura que este texto irá adquirir, será classificado entre os tipos textuais a partir de suas estruturas e estilos.


MARCUSCHI, L. A. (2002). “Gêneros textuais: definição e funcionalidade”
 Gêneros textuais e ensino. Rio de Janeiro: Lucerna

Tópico I – Procedimento de leitura

O que é um Descritor?

     O descritor é o detalhamento de uma habilidade cognitiva (em termos de grau de complexidade), que está sempre associada a um conteúdo que o estudante deve dominar na etapa de ensino em análise. Esses descritores são expressos da forma mais detalhada possível, permitindo-se a mensuração por meio de aspectos que podem ser observados.
     Cada tópico (Língua Portuguesa) ou tema reúne um grupo de descritores que visa à avaliação de diferentes competências do estudante. 

São 15 descritores subdivididos em 06 tópicos.
Tópico I – Procedimento de leitura
D1 - Localizar informações explícitas do texto
D3 – Inferir o sentido de uma palavra ou expressão
D4 – Inferir uma informação implícita em um texto
D6 - Identificar o tema de um texto
D11 - Distinguir um fato da opinião relativa deste fato

Tópico II – Implicações do suporte, do gênero, e/ ou do Enunciador na compreensão de texto
D5 - Interpretar texto com auxílio de material gráfico diverso (propagandas, quadrinhos, foto, etc.)
D9 - Identificar a finalidade de textos de diferentes gêneros

Tópico III – Relação entre texto
D15 - Reconhecer diferentes formas de tratar a informação na comparação de textos que tratam do mesmo tema, em função das condições em que ele foi produzido e daquelas em que será recebido.

Tópico IV – Coerência e Coesão no Processamento do Texto
D2 - Estabelecer relações entre partes de um texto, identificando repetições ou substituições que contribuem para a continuidade de um texto.
D7 - Identificar o conflito gerador do enredo e os elementos que constroem a narrativa
D8 - Estabelecer relação de causa/ conseqüência entre partes e elementos do texto
D12 - Estabelecer relações lógico-discursivas presentes no texto, marcadas por conjunções, advérbios, etc.

Tópico V – Relação entre recursos expressivos e efeitos de sentido
D13 - Identificar efeitos de ironia ou humor em textos variados
D14 – identificar o efeito de sentido decorrente do uso da pontuação e de outras notações

Tópico VI – Variação Lingüística
D10 - Identificar as marcas lingüísticas que evidenciam o locutor e o interlocutor de um texto

O que é um Descritor?

DESCRITOR


O que é um Descritor?

O descritor é o detalhamento de uma habilidade cognitiva (em termos de grau de complexidade), que está sempre associada a um conteúdo que o estudante deve dominar na etapa de ensino em análise. Esses descritores são expressos da forma mais detalhada possível, permitindo-se a mensuração por meio de aspectos que podem ser observados. Cada tópico (Língua Portuguesa) ou tema (Matemática) reúne um grupo de descritores que visa à avaliação de diferentes competências do estudante. Passemos à análise dos descritores.

Diferenças fundamentais: Matriz Curricular e Matriz de Referência de Avaliação

Matriz Curricular: Direciona o currículo de uma instituição de ensino, leva em conta as concepções de ensino e aprendizagem da área e apresenta: objetivos, conteúdos, metodologias e processos de avaliação.

Matriz de Referência: Também leva em conta as concepções de ensino e aprendizagem da área, mas é composta apenas por um conjunto delimitado de habilidades e competências definidas em unidades denominadas descritores, agrupadas em tópicos (Língua Portuguesa) e Temas (Matemática) que compõem a matriz de uma dada disciplina em avaliações dos tipos Prova Brasil e SAEB.

Embora a Matriz Curricular e a Matriz de Referência não tenham a mesma finalidade, é impossível pensar na Matriz de Referência para uma determinada avaliação sem levar em conta a Matriz Curricular que lhe dá suporte.
Matriz de referência de Matemática

Temas e seus Descritores

As matrizes de matemática estão estruturadas por anos e séries avaliadas. Para cada um deles são definidos os descritores que indicam uma determinada habilidade que deve ter sido desenvolvida nessa fase de ensino.  Esses descritores são agrupados por temas que relacionam um conjunto de objetivos educacionais.

Tópicos e seus Descritores

A Matriz de Referência de Língua Portuguesa apresenta a relação entre os temas, os descritores e as habilidades estabelecidos para a avaliação dos alunos da 4ª série/5º ano e 8ª série/9º ano do Ensino Fundamental(EF) e da 3ª série do Ensino Médio(EM).
No total, a Matriz de Referência de Língua Portuguesa da Prova Brasil e do Saeb é composta por seis tópicos: Procedimentos de Leitura; Implicações do Suporte, do Gênero e/ou do Enunciador na Compreensão do Texto; Relação entre Textos, Coerência e Coesão no Processamento do Texto; Relações entre Recursos Expressivos e Efeitos de Sentido e variação Lingüística.

Estruturalmente, a Matriz de Língua Portuguesa se divide em duas dimensões:
1ª: Objeto do Conhecimento: Nele são listados os seis tópicos;
2ª: Competência: Apresenta descritores que indicam habilidades a serem avaliadas em cada tópico.
Para a 4ª série / 5º ano do EF são contemplados 15 descritores;
Para a 8ª série / 9º ano do EF e a 3ª série do EM são acrescentados mais 6, totalizando 21 descritores.
Os descritores aparecem, dentro de cada tópico, em ordem crescente de aprofundamento e/ou ampliação de conteúdos ou das habilidades exigidas. São 28 descritores subdivididos em 04 temas.

Tema I - Espaço e Forma

D1 - Identificar a localização /movimentação de objeto em mapas, croquis e outras representações gráficas.
D2 - Identificar propriedades comuns e diferenças entre poliedros e corpos redondos, relacionando figuras tridimensionais com suas planificações.
D3 - Identificar propriedades comuns e diferenças entre figuras bidimensionais pelo número de lados, pelos tipos de ângulos.
D4 - Identificar quadriláteros observando as posições relativas entre seus lados (paralelos, concorrentes, perpendiculares).
D5 - Reconhecer a conservação ou modificação de medidas dos lados, do perímetro, da área em ampliação e /ou redução de figuras poligonais usando malhas quadriculadas.

Tema II - Grandezas e Medidas

D6 - Estimar a medida de grandezas utilizando unidades de medida convencionais ou não.
D7 - Resolver problemas significativos utilizando unidades de medida padronizadas como km/m/cm/mm/kg/g/mg/l/ml.
D8 - Estabelecer relações entre unidades de medida de tempo.
D9 - Estabelecer relações entre o horário de início e término e /ou o intervalo da duração de um evento ou acontecimento.
D10 - Num problema, estabelecer trocas entre cédulas e moedas do sistema monetário brasileiro, em função de seus valores.
D11 - Resolver problema envolvendo o cálculo do perímetro de figuras planas, desenhadas em malhas quadriculadas.
D12 - Resolver problema envolvendo o cálculo ou estimativa de áreas de figuras planas, desenhadas em malhas quadriculadas.

Tema III - Números e Operações / Álgebra e Funções

D13 - Reconhecer e utilizar características do sistema de numeração decimal, tais como agrupamentos e trocas na base 10 e princípio do valor posicional.
D14 - Identificar a localização de números naturais na reta numérica.
D15 - Reconhecer a decomposição de números naturais nas suas diversas ordens.
D16 - Reconhecer a composição e a decomposição de números naturais em sua forma polinomial.
D17 - Calcular o resultado de uma adição ou subtração de números naturais.
D18 - Calcular o resultado de uma multiplicação ou divisão de números naturais.
D19 - Resolver problema com números naturais, envolvendo diferentes significados da adição ou subtração: juntar, alteração de um estado inicial (positiva ou negativa), comparação e mais de uma transformação (positiva ou negativa).
D20 - Resolver problema com números naturais, envolvendo diferentes significados da multiplicação ou divisão: multiplicação comparativa, idéia de proporcionalidade, configuração retangular e combinatória.
D21 - Identificar diferentes representações de um mesmo número racional. D22 - Identificar a localização de números racionais representados na forma decimal na reta numérica.
D23 - Resolver problema utilizando a escrita decimal de cédulas e moedas do sistema monetário brasileiro.
D24 - Identificar fração como representação que pode estar associada a diferentes significados.
D25 - Resolver problema com números racionais expressos na forma decimal envolvendo diferentes significados da adição ou subtração.
D26 - Resolver problema envolvendo noções de porcentagem (25%, 50%, 100%).

Tema IV - Tratamento da Informação

D27 - Ler informações e dados apresentados em tabelas.
D28 - Ler informações e dados apresentados em gráficos (particularmente em gráficos de colunas).
Fonte: Adaptado do Material Língua Portuguesa e Matemática - SAEB / Prova Brasil - INEP
           

Língua Portuguesa

São 15 descritores subdivididos em 06 tópicos.

Tópico I – Procedimento de leitura

D1 - Localizar informações explícitas do texto
D3 – Inferir o sentido de uma palavra ou expressão
D4 – Inferir uma informação implícita em um texto
D6 - Identificar o tema de um texto
D11 - Distinguir um fato da opinião relativa deste fato

Tópico II – Implicações do suporte, do gênero, e/ ou do Enunciador na compreensão de texto

D5 - Interpretar texto com auxílio de material gráfico diverso (propagandas, quadrinhos, foto, etc.)
D9 - Identificar a finalidade de textos de diferentes gêneros

Tópico III – Relação entre texto

D15 - Reconhecer diferentes formas de tratar a informação na comparação de textos que tratam do mesmo tema, em função das condições em que ele foi produzido e daquelas em que será recebido.

Tópico IV – Coerência e Coesão no Processamento do Texto

D2 - Estabelecer relações entre partes de um texto, identificando repetições ou substituições que contribuem para a continuidade de um texto.
D7 - Identificar o conflito gerador do enredo e os elementos que constroem a narrativa
D8 - Estabelecer relação de causa/ conseqüência entre partes e elementos do texto
D12 - Estabelecer relações lógico-discursivas presentes no texto, marcadas por conjunções, advérbios, etc.

Tópico V – Relação entre recursos expressivos e efeitos de sentido

D13 - Identificar efeitos de ironia ou humor em textos variados
D14 – identificar o efeito de sentido decorrente do uso da pontuação e de outras notações

Tópico VI – Variação Lingüística

D10 - Identificar as marcas lingüísticas que evidenciam o locutor e o interlocutor de um texto

Para um processo de alfabetização bem sucedido, o professor deve olhar para os cinco eixos com especial atenção, pois os mesmo trarão ao longo do estudo clareza sobre como as crianças aprendem e percebem o processo de leitura e escrita ao longo do Ciclo da Alfabetização.É bom lembrar que um bom professor é aquele que está em constante atualização da sua prática de ensino. Não estou apresentando aqui nenhuma receita pronta de como alfabetizar, mas garanto que se os cinco eixos forem bem compreendidos o sucesso na alfabetização é visivelmente alcançado.

Agora que você conheceu os Cinco Eixos Norteadores para a Alfabetização e o Letramento, conheça também as capacidades que devem ser desenvolvidas a partir de cada um desses eixos nos quadros a seguir: Acompanhe a legenda das letras inseridas nas quadriculas:
I = Introduzir. Levar os alunos a se familiarizarem com conteúdos e conhecimentos.

T = Trabalhar. Trabalhar sistematicamente, para favorecer o desenvolvimento pelos alunos.

C = Consolidar. Procurar consolidar no processo de aprendizagem dos alunos, sedimentando os avanços em seus conhecimentos e capacidades.

R = Retomar. Retomar eventualmente, quando se trata de conceitos ou capacidades já dominados ou consolidados em período anterior.

Quando as três letras aparecem ao mesmo tempo, isso significa que a capacidade em questão necessita ser dominada mais cedo e que em um mesmo ano deverá ser Introduzida, Trabalhada e Consolidada.Analise e reflita em cada quadro e veja como ele facilitará o seu trabalho como alfabetizador. Perceba, no entanto, que elas devem ser trabalhadas de forma simultânea, pois uma capacidade exerce influência sobre a outra. A organização dos eixos e capacidades em quadro foi apenas para que o facilite a visualização de forma organizada e clara.

Observe o quadro: