Viajando No Mundo dos Contos de Fada

Viajando No Mundo dos Contos de Fada

quinta-feira, 28 de abril de 2016

PROJETO AMBIENTAL RECICLANDO IDÉIAS


PROJETO AMBIENTAL RECICLANDO IDÉIAS
JUSTIFICATIVA:

A medida em que o ser humano aumenta a sua capacidade de intervir na natureza, utilizando seus recursos tecnológicos para extrair do meio ambiente tudo aquilo que deseja. O uso indevido dos recursos não renováveis ou a poluição dos recursos renováveis são fatores que ameaçam a sobrevivência dos seres.
Existem vários fatores que contribuem para a degradação da natureza, são eles: esgotamento do solo, poluição sonora provocada por barulho de automóveis, máquinas etc,
poluição do ar da água e dos solos, destruição da camada de ozônio e muitos outros.Este projeto busca formar o senso crítico na criança, estimulando-a retirar da natureza somente o que é necessário para sua sobrevivência, mostrando para as crianças que o meio ambiente não pertence a elas, mas que elas estão inseridas nele.
O cidadão que se preocupa com o ambiente em que vive precisa mudar sua forma de pensar e passar a agir com responsabilidade, sensibilidade e respeito.
O pequeno de hoje será o adulto empreendedor de amanhã, se não formar uma consciência da importância de cuidar da natureza com cautela, irá agir de forma mesquinha, utilizando a natureza de forma desordenada e gananciosa, se for responsável e consciente irá se integrar ao meio ambiente, tornando-se parte dele só retirando dele aquilo que realmente necessita.
Nós educadores devemos buscar a construção de uma consciência crítica pelos alunos, de modo a formar cidadãos éticos e humanos. É muito importante orientar as crianças a lidar com a natureza, tendo como objetivo despertar nos pequenos uma postura crítica frente à realidade das informações e os valores trazidos de casa ou veiculados pela mídia, pois os assuntos ambientais não são apenas de interesse individual, mas do coletivo, ou seja, são de interesse planetário.
Este projeto busca ampliar as noções já elaboradas das crianças sobre o meio ambiente, nas suas mais variadas formas, pois a gente só protege e cuida daquilo que conhece e ama, é mais do que ensinar a criança a não poluir é educar o pequeno para que corrija aquele que ainda não aprendeu a tratar a natureza com o respeito que ela merece.Como nos dias de hoje estamos sempre com pouco tempo para realizar todas as tarefas que precisamos fazer, tendo pouco ou nenhum tempo dedicado a cuidar da boa alimentação, descanso e lazer, as indústrias criam novos meios de “facilitar” nossa vida, fabricando produtos em embalagens descartáveis que consomem matéria – prima e arrasam a natureza, cabe ao educador despertar na criança o patrulheiro ambiental, que irá fiscalizar e proteger a natureza.

OBJETIVOS GERAIS
:

*Investir na mudança e transformação do pensamento, visando uma qualidade de vida que se relacione com a preservação da natureza;
*Conhecer e integrar as diferentes formas de caracterizar o meio ambiente;
*Adotar postura crítica, dentro e fora da escola, que vise interações construtivas com o meio ambiente;
* Identificar a necessidade real de extrair elementos da natureza da ganância destrutiva, a fim de preservar o meio ambiente;
*Valorizar a diversidade ambiental;
*Identificar-se como parte integrante ( e importante) na formação do meio ambiente;
*Desenvolver valores e atitudes de respeito com a natureza;
*Despertar a consciência ecológica de preservação e respeito pela natureza, através do reaproveitamento de materiais;
*Conscientizar a criança da importância das plantas e da natureza, mesmo no ambiente urbano;
*Identificar a utilidade das plantas e da natureza na saúde, na produção de remédios e na alimentação do ser humano;
*Conhecer o desenvolvimento das plantas e o que necessita para sobreviver;
*Apreciar a natureza que nos rodeia.

ALGUNS TEMAS ABORDADOS:

SOLO: O que é solo?
Alguns tipos de solo (areia, barro, argila...)
Poluição do solo e conseqüências

LIXO: O que é lixo?
Tipos de lixo ( seco e orgânico) e sua separação
Lixo tóxico e conseqüências
Coleta de lixo e armazenamento( lixo industrial e médico)

ÁGUA: Onde encontramos?
Para que utilizamos?
De que formas podemos encontrá-la? (os estados)
Conseqüências de sua poluição

RECICLAGEM: De embalagens de isopor
De caixas de ovos
Sucatas variadas
Embalagens de refrigerante

PLANTAS:
 Como crescem?
Suas utilidades?
Plantas que utilizamos na alimentação?
Plantas medicinais


Utilidades das plantas:Alimentação: árvores que produzem frutas, sementes e legumes. Realizar o mural de sementes e grãos com o nome da árvore e da fruta ou legume ao qual pertencem.
Remédios: Coletar folhas, sementes, cascas e raízes (ervas, chás e temperos).
Perfumes: Muitas plantas são utilizadas na confecção de perfumes, pesquisar sobre elas.
Utilidade: Purificação do ar, sombra, conservação da umidade da terra e produção de oxigênio.

ALGUMAS SUGESTÕES DE ATIVIDADES:


*Criação de uma patrulha ambiental encarregada de fiscalizar os ambientes e as pessoas que ele ocupam;
*Conversação, debate, pesquisa e atividades que motivem a descoberta do meio;
*Confecção de roupas e acessórios utilizando sucatas;
*Desfile das peças confeccionadas;
*Leilão das peças confeccionadas com sucata;
*Máscaras de papel machê;
*Apresentação de teatro utilizando as máscaras;
*Separação do lixo seco e orgânico;
*Música;
*Experiências
*Horta ecológica;

DICAS: Nas revistas de Educação Infantil tem bastante atividade para realizar utilizando sucata. REVISTA "GUIA PRÁTICO PRA PROFESSORES DE EDUCAÇÃO INFANTIL"


# Recolher várias folhas no pátio ou em torno da escola, em sala, comparar as folhas, concluir que as folhas são igual as pessoas, cada uma é diferente, em sua forma, tamanho, cor, textura e utilidade. Existem plantas que podemos usar na alimentação, outras podemos utilizar como medicamento, algumas plantas servem para enfeitar e nos proporcionar a sombra. Depois de conversar sobre as folhas colocá-las em baixo de uma folha de ofício e com o giz de cera deitado pintar esta folha, para surpresa das crianças aparecerá o contorno das folhas. Para turmas mais avançadas pode-se elaborar um álbum com as folhas e o nome das árvores as quais pertencem e sua utilidade (alimentação, medicamentos, decoração, sombra, madeira...);
# Plantio de sementes (arroz, feijão, lentilha) para que as crianças observem seu desenvolvimento (sua partes como raiz, caule, folhas...) e o que necessitam para crescer (água, ar e luz). È importante fazer uma experiência com os pequenos, cada um planta sua sementinha em um potinho com algodão e coloca em uma janela para receber água e luz, a professora faz outros 2 potinhos onde um não receberá água e o outro não receberá luz, assim poderão perceber o que as plantinhas necessitam para crescer. Os mais velhos podem registrar com desenhos as suas observações;
# É importante falar sobre os desmatamentos, queimadas e atos de vandalismo na natureza, como poluição do solo e da água e despertar na criança a consciência de preservação, indo além do não poluir, mas chamando atenção para atitudes erradas de quem ainda precisa de ajuda. Já existem empresas que se preocupam com isto e produzem peças com madeiras “reflorestadas”;
# Alguns plantas são cultivadas e crescem com o uso de agrotóxico, que é semelhante ao remédio que tomamos quando estamos doentes, só que mais forte. Mostre para as crianças a importância de consumir alimentos limpos. Uma boa atividade é a manutenção de uma horta ecológica, com alimentos a serem utilizados nas refeições oferecidas pela escola. Incentivá-los no plantio de árvores frutíferas, plantadas ao redor da escola também auxilia a despertar nos pequenos a consciência ecológica.
# Existem materiais que podem ser reaproveitados, assim, evitamos o desperdício e exploração desnecessária dos recursos naturais, chamamos de reciclagem. Uma ótima atividade é a separação de todo lixo da escola e lixeiras separadas (lixo seco e lixo orgânico), construções significativas com sucatas são excelentes recursos didáticos, veja algumas sugestões:
· Utilizando garrafas de 2 litros plásticas podemos fazer porta lápis, porta papel higiênico, floreiras, vai e vém, bilboquê e muitas outras coisas que nossa criatividade permitir;
· Utilizando o lacre das latinhas podemos construir roupas, gravatas, pulseiras etc...
· Com caixinhas e potes de conservas podemos forrá-los e enfeitá-los usando-os para guardar brinquedos e jogos;
·Com potinhos de iogurte podemos confeccionar um jogo da memória,
·Com caixinhas de fósforos podemos construir um jogo da velha.
·Com tampinhas plásticas podemos construir um jogo de damas.

# A árvore da turma: Construir com papel pardo um tronco de árvore, as “ folhas “ serão pratos de plástico com a marca da mão da criança com guache, seu nome e uma palavra ou frase sobre a natureza, este cartaz deve ficar exposto para os pais.
# Com sucata construir roupas e outros objetos utilitários, com bandeja de isopor (fundo de pizza ou fundo de carnes) construir quadros para os pais enfeitarem a parede. Depois fazer um leilão das obras de arte para arrecadar fundos para a escola.
# Campanha de conscientização no bairro, visitar as casas e conversar com os moradores sobre desperdício de água para lavar calçadas ou carros e sobre a coleta seletiva de lixo ( a ABEPAN fornece panfletos e os horários dos caminhões para a coleta de lixo reciclável). Cada turma fará uma limpeza na escola e em torno da mesma, os menores recolhem lixo do pátio e em volta a escola, os maiores podem fazer a volta na quadra.
# Escrever uma carta para o prefeito solicitando uma lata de lixo grande com a separação dos lixos, para ser colocada na frente da escola e servir toda a comunidade.
# O projeto pode ser encerrado no dia da árvore, juntamente com uma campanha conscientizando os motoristas sobre os perigos do trânsito. Um lugar ideal é em frente aos bombeiros, conversar no Detram com a Fabiana, ela oferece vários azuizinhos além de barreiras para que as crianças fiquem seguras na hora de conversar com os motoristas. Sugiro solicitar mudinhas de árvores frutíferas na ABEPAN, para entregar aos motoristas, juntamente com a seguinte frase: “ Cada flor que nasce, cada criança que chega ao mundo, traz a grande notícia: Deus ainda não está cansado dos homens. PRESERVE A NATUREZA”. Colocar a logomarca da escola em cada mensagem.


GINÁSTICA HISTORIADA
Cada criança deve dramatizar a história, na medida em que a educadora vai narrando, alguns podem ser a menina, outros a sementinha, outros a chuva e outros o solzinho, ou as crianças podem ser a sementinha, enquanto a educadora dramatiza os personagens restantes.

Era uma vez uma menina que se preocupava muito com as plantinhas, certo dia ela cavou um buraquinho na areia bem fofa, dentro dele colocou uma linda sementinha, ( agora as crianças serão a sementinha). A sementinha era bem pequenina e estava toda encolhidinha, como que se estivesse sentindo muito, muito frio, mas ficou paradinha ali na terra fofinha como se estivesse dormindo. De repente começou a sentir uma sensação muito agradável, a sementinha então, se sentia protegida. Logo pela manhã o sol chegou, seus raiozinhos aos poucos penetraram a terra e aqueceram a sementinha, que acordou com o calorzinho. Quando veio a chuva suas gotinhas fininhas penetraram a areia fofinha e deram um gostoso beijinho na sementinha, feliz, a sementinha começou a erguer seus bracinhos, procurando pelas gotinhas de chuva e pelo calorzinho do sol. Aos poucos a plantinha começa a ganhar folhinhas.
A noite chega e a lua prateada joga o orvalho para a plantinha, que logo estica suas folhinhas para recebê-lo e é saudada pelas estrelas. Cada dia que passava, a plantinha crescia mais, mais e mais. Suas raízes ficaram profundas, bem dentro da terra, seu caule estava grande e forte e sustentava muitas folhas, toda vez que ventava ela segurava as folhinhas para lá e para cá... ( Utilizar a música a sementinha, Beto Hermann)

BARCO LIGEIRO (PRÁ FRENTE, PRÁ TRÁS)

1. FORMIGUINHA
Fui ao mercado comprar café
Veio a formiguinha e subiu no meu pé
EU sacudí, sacudí, sacudí
Mas a formiguinha não parava de subir
(trocar as palavras sublinhadas por objetos e partes do corpo que rimem. Ex: panela/canela; espelho/joelho. A cada parte do corpo devemos mexer ao cantarmos “sacudi”).

2. BARCO LIGEIRO (PRÁ FRENTE, PRÁ TRÁS)
Prá frente, prá traz (4 vezes)
Meu barco é bem ligeiro e vai
Correndo pelo mar
Trazendo mil peixinhos que eu
Pesquei pro meu jantar
Prá frente, prá traz (4 vezes)

3. AH! HUM! FAZ UM LINDO SAPINHO
Ah!Hum! Faz um lindo sapinho (3 vezes )
Mexe seus olhinhos e faz AH!HUM! HUM! (esse último arregalando os olhos e mostrando a língua)

4. PIRULITO
_ Mamãe, acho que vou dar um grito!
_ Não grita não, que eu te dou um pirulito.
_ Mamãe o que é um pirulito?
_ É uma bala enfiada num palito.
_ Mamãe o que é um palito?
_ É um “pauzinho” que segura o pirulito.
_ Mamãe o que é um pirulito?
_ Ai!Ai!Ai! Acho melhor cê dá um grito!!!

5. TCHIBUM! TCHIBUM!
Tchibum! Tchibum! Chalalalalalalala (2 vezes )
Eufridia, Eufridia é uma “braboleta” azul (2 vezes)
Ela é azul e voa assim
Mexe as anteninhas piscando para mim!
Mas eu amo! (se amo!)
E gosto dela assim:
De asas abertas, de asas fechadas sorrindo para mim!
( trocar o nome da “braboleta” e fazer uma rima com ele. Ex. Eufrélha/ braboleta velha; Eufresca/braboleta fresca)

6. SOM DO MOSQUITINHO
Para ouvir o som do mosquitinho
E as batidas do coraçãozinho
Pego fecho a chave e fecho minha boquinha
HUMHUMHUM HUM HUM HUM HUM …..

7. MARRECO
Eu tenho um marreco lá em casa
Que me ensinou a dançar
Um passinho prá lá um passinho prá cá
Um bamboleio e um Tchá Tchá Tchá QÜEIM QÜEIM! REFRÃO
Tchá Tchá Tchá QÜEIM QÜEIM!
O meu marreco eu não vendo
Não empresto e não dou
Repetir refrão
———————————-
Músicas de Memorização
1. MEU BURRO
Meu burro, meu burro ficou com dor de cabeça
Mamãe mandou comprar… Chapéu para a cabeça
Chapéu para cabeça e tem sapato azul
(bate duas palmas )
Meu burro, meu burro ficou com dor nos olhos
Mamãe mandou comprar… Colírio para os olhos
Colírio para os olhos e tem sapato azul (bate duas palmas e vai acrescentando outras partes do corpo e os remédios correspondentes)

2. POLENTA
Quando se planta la bela polenta
La bela polenta se planta cosi
Se planta cosi ô ô ô
La bela polenta cosi tchá tchá pum, tchá tchá pum
Tchá tchá pum pum pum pum!
(acrescentar o que vai acontecendo com a polenta. EX. brota, flore, cresce, etc).

3. LOJA DO MESTRE ANDRÉ
Foi na loja do Mestre André que eu comprei um violão
Blão! Blão! Blão! Um violão
Aiolè! Aiolè! Foi na loja do mestre André REFRÃO
Foi na loja do Mestre André que eu comprei um pianinho
Plin! Plin! Plin! Um pianinho
Blão! Blão! Blão! Um violão
Repetir REFRÃO
( ir acrescentando instrumentos e seus sons. Ex.: Corneta/Fon! Fon! Fon!; Pandeirinho/Pan! Pan! Pan! )

4. A MOSCA NA VELHA
Estava a velha em seu lugar duas vezes
Veio a mosca lhe atentar
A mosca na velha e a velha a fiar
Estava a mosca em seu lugar duas vezes
Veio a aranha lhe atentar
A aranha na mosca, a mosca na velha e a velha a fiar
(ir acrescentando animais na música


Músicas para Coordenação Motora
(todas as músicas envolvem gestos)

1.TÓKI PATOKI
Toki Patoki
Patoki Taki
Tikete Tikete Tumba! Tumba! Tumba! Tumba!

2. CABEÇA BOCA MELO 1 2 3
Cabeça boca melo 1 2 3 ( duas vezes )
Mano colo melo 1 2 3 ( duas vezes )
(Junta tudo) Cabeça boca mano colo melo 1 2 3
Pé rodília melo 1 2 3 ( duas vezes )
(Junta tudo) Cabeça boca mano colo pé rodília melo 1 2 3
(acrescentar meio passo, passo inteiro, etc).

3. TIO DE PARIS
Quando meu tio
Chegou de Paris
Trouxe prá mim……
(colocar objetos realizando movimentos. EX. lindo leque; uma tesoura; etc).

4. CRUZANDO O PÉ NA FRENTE
Cruzando, o pé na frente ( três vezes, na última vez cantar: )
e não cruzando mais.
Pulando prá direita ( três vezes, na última vez cantar: )
E não pulando mais
Prá cima e prá baixo ( três vezes, na última cantar: )
E não descendo mais
Prá frente e prá traz ( três vezes, e na última cantar: )
Parando no lugar

5. CHAPÉU TEM TRÊS PONTAS
O meu chapéu tem três pontas
Tem três pontas o meu chapéu
Se não tivesse três pontas
Não seria o meu chapéu

6. JIBÓIA
Tava de bota passeando numa bóia
Tava jóia, tava jóia
Aí apareceu uma jibóia
Não ficou jóia, não ficou jóia
Aí eu bolei uma tramóia
Peguei um pau e dei nos zóio da jibóia
Agora que a jibóia já não zóia
Ficou jóia, ficou jóia

GINÁSTICA HISTORIADA

GINÁSTICA HISTORIADA

Esse tipo de ginástica é aquele em que o (a) professor (a) conta a história e ao mesmo tempo executa os movimentos sugeridos (em negrito).
O (a) professor (a) é o modelo e as crianças vão seguindo-o.
Pode ser utilizada também como dinâmica em reunião de professores e pais.
Essa sugestão é excelente para o desenvolvimento da Psicomotricidade.
Vale ressaltar que é importante, após atividades de movimentos mais intensos, fazer relaxamento. Além disso, é ideal que o (a) professor (a) vivencie as atividades antes de aplicá-la junto aos educandos.

BRINCADEIRA COM MOVIMENTO…
- Aprimora gestos e ritmos corporais.
- Estimula a descoberta dos limites do corpo.
- Sensibiliza para o convívio com os colegas.

ESTICA, ESTICA, ESTICA – Turma Da Mônica [Álbum: Não brinque com a saúde]
Oi! Criançada!
Aqui é o Jotalhão!
Eu vou ensinar hoje para vocês um exercício muito fácil.
É simples, nós vamos aprender a esticar o nosso corpinho.
Por quê?
O nosso corpo é fantástico,
E tem músculos elásticos
Que crescem e se fortalecem
Se você souber usar.
Estica, estica, estica,
Quanto mais você estica
Mais elástico ele fica
Estica, estica, estica,
Quanto mais você estica
Mais elástico ele fica
É!
Atenção, atenção!
Vamos esticar esse bracinho.
Agora, vamos esticar a perninha. Isso.
Estica, estica, estica, estica sem parar.
Isso, estou gostando de ver.
Mas vamos esticar mais um pouquinho, tá bom?
Então vamos lá!
O nosso corpo é fantástico,
E tem músculos elásticos
Que crescem e se fortalecem
Se você souber usar.
Estica, estica, estica,
Quanto mais você estica
Mais elástico ele fica
Estica, estica, estica,
Quanto mais você estica
Mais elástico ele fica
Legal, legal!
Estão gostando da aulinha?
Vamos continuar.
Agora vamos esticar os dedinhos das mãos. Hein!
Vamos lá, força, força. Esticando.
Vamos esticar os dedinhos do pé também.
Vamos lá. Isso. Esticando, esticando, esticando sem parar.
Valeu criançada.

O ELEFANTE NA TEIA DE ARANHA
Um elefante
Se pendurou
Numa teia de aranha
Mas quando viu
Que a teia resistiu
Foi chamar outro elefante…
(Repetir a letra com dois elefantes, depois com três, sucessivamente, até alcançar o número de crianças da classe.)

EU DANÇO ROCK’N'ROLL
Eu danço rock’n'roll,
Eu danço rock’n'roll,
Assim é bem melhor, hey!
(Dançar em círculo, girar no próprio eixo e bater uma palma.)
Eu boto a mão direita dentro,
Eu boto a mão direita fora,
Eu boto a mão direita dentro
E eu sacudo ela agora
(Sacudir a mão dentro e fora do círculo. Repetir a letra e a dança com mão esquerda, pé direito, pé esquerdo, cabeça e bumbum.)

Caçar Ursinho

Caçar Ursinho

Os jogadores devem estar distribuídos a vontade pelo espaço, sentados de frente para o animador. Todos devem repetir tudo o que o animador fizer ou disser:

 Vamos caçar ursinho?
 Vamos!
 Então vamos... (bater com as mãos em cima da perna, imitando o som de caminhada)
 Olha!
 Um lago!
 Vamos atravessar?
 Vamos.
 Então vamos... (com os braços, fazer os gestos de quem está nadando, depois continuar a caminhada)
 Uma ponte!!!
 Temos que passar por ela!
 Vamos?
 Então vamos... (bater com a mão fechado no peito imitando a caminhada sobre a ponte, voltar a caminhar).
 Ufa!
 Passamos!
 Era grande!
 Enorme!
 Fiquei cansado! (caminhada)
 Um milharal!
 Temos que passar por ele!
 Vamos?
 Então vamos... (esfregar uma mão na outra, imitando o som de quem está passando pelo milharal).
 Ufa!!!
 Passamos.
 Fiquei todo arranhado.
 Cheio de coceira... (fazer o gesto de se coçar) (caminhada)
 Nossa!
 Que árvore alta! (olhar para o alto)
 Temos que subir nela!
 Vamos? Então vamos... (subir uma mão após a outra como se estivesse subindo por uma corda).
 Ihhh!!!
 To vendo uma luz lá embaixo...
 Eu acho que é a casa do ursinho...
 Vamos até lá?
 Então vamos...
 Bem devagarinho...
 Abaixadinhos...
 Xiii!!!
 To ficando com medo!!! (gestos)
 Mas eu tenho coragem!
 Vamos continuar?
 Então vamos... (caminhada)
 Ihhh!!!
 To vendo uma coisa brilhando...
 Eu acho que são os olhos do ursinho... (apontar para os olhos)
 Nossa!!!
 Que cabeça enorme! (gesto redondo)
 Que orelhas grandes... (apalpar até as orelhas)
 Que narigão!!! (apalpar até o nariz)
 Que bigodes enormes...
 Que dente duro... (bater com a unha no seu dente)
 Eu acho que isso aqui não é o ursinho...
 Mas tem cheiro de ursinho... (tapando o nariz)
 Ai, que medo!
 To assustado!
 Isto aqui, é a mãe do ursinho!!!
 Vamos voltar...
 Correndo! ( volta toda a história rapidamente, de trás para frente como se estivesse fazendo uma viagem, fazendo os gestos até chegar ao ponto de origem.


Com essa história, podemos trabalhar a imaginação de nossos alunos e a capacidade de enfrentar e superar os desafios.

GINÁSTICA HISTÓRIADA II

GINÁSTICA HISTÓRIADA II

A FUGA DO PALHAÇO


Era uma vez um palhacinho que estava muito triste. Ele estava cansado de ficar no circo.


Resolveu, então, fugir para uma floresta.


Ele arrumou o cabelo e saiu muito contente pulando que nem sapo (saltar)


Na floresta haviam muitas árvores e o palhacinho ia contornando todas elas. (zig zag)


No meio do caminho o palhacinho teve que atravessar um rio, então ele pegou um barco e saiu remando, remando (remar sentado) 


Quando chegou na outra margem ele encontrou uma enorme pedra atrapalhando seu caminho. O palhacinho começou a empurra-la. Empurrou, empurrou (empurrar) até que ela saiu do caminho.


Mas adiante havia uma cerca bem no lugar onde o palhacinho deveria passar. O que foi que ele fez? Passou por baixo da cerca (rastejar) 


Do outro lado da cerca havia um canguru e o palhacinho resolveu imita-lo. (saltar como um canguru.)


Enquanto ele imitava o bichinho, avistou um passarinho e resolveu imitar um canguru voador 


( pular e bater com os braços)


Mesmo brincando, o palhacinho começou a ficar cansado. Seu pezinho doía e ele resolveu caminhar só com o pé direito para descansar o outro (pular com o pé direito) , depois só com o pé esquerdo (pular com o pé esquerdo).


A noite chegava rápido e o palhacinho cansado começava a ficar com medo. A única coisa que ele queria agora era voltar para o circo.


Ele começou então a voltar pelo mesmo caminho.


Ele contornava as árvores bem devagar pois estava muito cansado. (andar em zig zag bem devagar), sua garganta doía e ele fazia assim (respirar ofegante)


O sono chegava depressa e o palhacinho não conseguia manter os olhos abertos por muito tempo (piscar).


Neste momento ele avistou o circo e começou a ouvir o riso das crianças. 


O palhacinho já não se sentia mais cansado, não tinha medo nem sono. Ele começou a respirar fundo e bem devagar, afinal ele estava em casa. (exercício de respiração).

GINÁSTICA HISTORIADA - A PRINCESA E A RÃ

GINÁSTICA HISTORIADA - A PRINCESA E A RÃ


Era uma vez uma princesa, que tinha um grande jardim, onde brincava e saltava todos os dias(saltar com elevação de uma perna. Ora uma, ora lateralmente).
No seu aniversário, a princesa recebeu uma bola de ouro e começou a jogar com ela no jardim. 
(Lança uma bola para o ar e pega novamente).
Um dia, a bola caiu no poço e uma rã a pegou e uma rã a pegou.
A princesa sentou-se à beira do poço e começou a chorar. 9 o poço e começou a chorar. ( O poço é um círculo, no meio está sentada a rã que pegou a bola.)
A rã teve dó da princesa e trouxe-lhe a bola. A princesa então alegrou-se novamente. Mas, para reaver a bola, a princesa teve que brincar com a rã e apostar uma corrida saltando. 
( As crianças imitam o salto da rã.)
À noite a rã quis fazer uma visita ao castelo e passou por um buraquinho que havia no muro. 
(as crianças arrastam sobre o abdomem apoiando-se nos cotovelos).
No palácio, todos estavam jantando, quando viram a rã sacudindo a cabeça 
(Sentam-se no chão com as pernas flexionadas, abraçando os joelhos e conservando as costas bem eretas), balançando a cabeça para frente e para trás).
O rei ordenou a filha que recolhesse a rã. A princesa pegou o animalzinho com nojo. 
(Pernas afastadas e joelhos bem estendidos flexionando o corpo à frente até tocar no chão com as mãos.)
Conservar os braços estendidos, levantando-os lentamente acima da cabeça.) 
Depois, o rei ordenou à princesa que levasse a rã para o seu quarto. A princesa levou-a e dormiu ao lado dela. (As crianças deitam como se fossem dormir.)
A rã estava muito triste. A princesa compadeceu-se dela. 
(Exercício flexionando o tronco lateralmente.) 
Então, a rã se transformou num lindíssimo príncipe, que tomou a princesa pelas mãos e dançou com ela por toda a sala.
 (As criançasdão as mãos duas a duas dançando e girando). Depois, a princesa e o príncipe encantado casaram-se. Houve uma festa maravilhosa. (As crianças deitam-se no chão e formam uma coroa.)

História do boneco de borracha

Ginástica historiada

Objetivos
Adquirir consciência corporal, lateralidade e equilíbrio.

Como brincar
A medida que você for contando a história, as crianças devem imitar as situações que ocorrem com o boneco.
História do boneco de borracha

                Era uma vez um boneco de borracha que ficava de todos os jeitos com o corpo, mas não falava, não fazia barulho e mexia-se bem devagar.

                Ele gostava de passear no jardim, olhando as flores coloridas, os pássaros, as borboletas e as abelhas que voavam no alto

                De repente veio um vento forte... Nossa! O boneco de borracha ficou torto e agora ele anda todo torto, virado só para um lado. E assim ele continuou o passeio.
Ufa! O vento parou, e ele então voltou ao normal. Agora conseguia andar tanto para frente como para trás.
                O vento voltou de novo. Ai, ele entortou-se para frente e anda olhando para baixo. Parece até que procura alguma coisa no chão.

                Mas, de repente, o vento mudou de direção e fez o boneco entorta-se para trás. Agora ele só vê o que está lá no alto: o céu, os pássaros e as borboletas.

                Finalmente o vento parou de vez. O boneco de borracha endireitou-se e continuou o passeio observando tudo o que estava ao seu redor.

                Engraçado é que quando o boneco de borracha chegava perto de uma árvore ficava bem magrinho e bem comprido, do tamanho da árvore. Então, o boneco andava elegante, esticado e comprido, quase alcançando o céu.

                Quando chegava perto e uma roseira e sentia o cheiro das rosas, o boneco ficava todo gordo e pesado como um elefantinho. Para andar, até fazia um barulhão!

                Ah! O boneco de borracha estava cansado de tanto passear. Então, ele deitou-se no chão para descasar e.... surpresa! Ele ficou pequenininho, encolhidinho. Podia até caber numa caixa de sapato. Bem pequeno mesmo!

                De repente, crescia, espalhava-se para todos os lados, crescia, crescia e crescia. Crescia tanto que ocupava um grande espaço no chão.

                Ficava pequeno de novo, pequeno, pequeno, bem pequeno. E adormecia todo pequenininho...
                Até que amanheceu e chegou o sol. O boneco de borracha, que estava quietinho, foi se mexendo devagar, esticando-se para todos os lados, esticando os pés, as pernas, o tronco, o dedos, as mãos e os braços.

                Ele levantou-se e virou gente.
Agora, sim, ele consegue conversar, falar bem baixinho com que está perto dele.   
Essa é a história do boneco de borracha que virou gente
Autor desconhecido